sábado, 11 de julho de 2020

Regresso da normalidade na nova normalidade


Empresário cansado trabalhando com bateria fraca | Vetor PremiumE no meio da nova normalidade, regressam os turistas. E com eles vem a chico-espertice dos que querem entrar à borla ou dos que pensam que a gola da t-shirt serve de máscara. Numa era em que todos nos tentamos proteger do vírus, nem que seja através de uma falsa sensação de segurança, aliadas às regras impostas pela DGS, ainda há quem leve tudo isto numa brincadeira, ignorando tudo e todos como se fossem donos do mundo. Começou a "tourada" ou melhor, recomeçou porque se há coisas que o vírus não mudou foi a estupidez humana e acreditem, não estou a ser demasiado rude, mas contra factos não há argumentos. 


Do distanciamento social não cumprido, à tradicional máscara nos queixos e ao bilhete de uma viagem que julgam dar para o dia inteiro, há de tudo e para todos os gostos, numa 28E perto de si. O calor aperta, a paciência acaba por se evaporar e depois o complicómetro de muitos começa a disparar, numa manhã que tudo tinha para ser tranquila, sem a tradicional feira da ladra, suspensa devido ao covid-19, e que terminou de forma atribulada.

Porque como se não bastasse o regresso dos turistas que querem andar no 28 como se não houvesse amanhã, o sistema de controlo de tráfego também não quis ajudar, o que fez com que se juntassem mais de 6 eléctricos da carreira numa interrupção, onde as comunicações parecem também elas terem entrado em confinamento. Dias difíceis nesta nova normalidade, numa profissão que embora muitos não o queiram classificar como tal, se torna cada vez mais desgastante.  

E assim vão as viagens pelas ruas de Lisboa... Amanhã será outro dia, porque o de hoje está feito e já passou, já passouuuu....

BOAS VIAGENS A BORDO DA CCFL

Sem comentários:

Translate