domingo, 1 de julho de 2018

A paragem do 24E? Fica ali na Cochinchina...

Conhece aquela expressão que se costuma dizer quando nos referimos a algo que fica longe? Exactamente essa que "fica lá na cochinchina..." Pois bem, aqui bem mais perto, no coração de Lisboa, essa expressão nunca fez tanto sentido como agora, sobretudo para os lados da carreira 24E onde concluí mais uma semana de serviço. Mas estará por esta altura do texto o leitor a perguntar, «mas afinal que tem a ver a cochinchina com o 24E?»

Pois bem, antes de mais convém dizer que a Cochinchina existe mesmo e faz parte da geografia vietnamita, mas se não quisermos sair de Portugal também encontramos uma bem perto do centro de Lisboa. Sabemos que a carreira 24E tem sido um sucesso ao contrário do que se dizia, o que quer dizer que também aqui se poderia ter usado a expressão que a 24E só vingaria se fosse na cochinchina, no entanto sabemos também que a única coisa que continua a causar algumas queixas entre os utentes da carreira são as paragens do Largo do Rato, uma vez que não estão juntas com as da carreira 758. 

Por isso mesmo, a certa altura deste final de semana enquanto o guarda-freio aguardava a luz verde do semáforo que dá acesso à Rua da Escola Politécnica em direcção ao Príncipe Real, uma passageira aproveitando a fila de trânsito que obrigava o eléctrico a permanecer ali mesmo em frente à paragem do autocarro, não hesitou em perguntar «desculpe lá mas não tem paragem aqui?», ao que o guarda-freio terá respondido ironicamente que «a paragem é na cochinchina... fica ali à direita após a curva»

A senhora sorriu e correu em direcção à paragem. Chegado à paragem o guarda-freio abre a porta e explica o porquê de ter dito que era na cochinchina. Pois ali a paredes meias com a paragem, que fica também ela à porta de uma oficina, está o restaurante vietnamita de seu nome Cochinchina. A senhora compreendeu e terá dito que «afinal estava mesmo a falar a sério!», tendo de imediato acrescentado que «realmente esta paragem aqui fica muito fora de mão, pelo menos podiam tê-la posto no candeeiro anterior...» 


Por isso agora que já sabe onde fica a paragem do 24E no Rato com destino ao L.Camões, fica também a saber que pode ir à boleia do eléctrico até ao Vietname ainda que seja apenas através da sua gastronomia. Se lhe abriu o apetite ou simplesmente a curiosidade, já sabe, apanhe o 24E e como diz o site NiT "O prato típico pode ser servido em caldo de carne de vaca, neste caso chama-se pho bo (12,50€), ou numa versão vegetariana com tofu e massa de arroz chamada Pho Chay (10,50€). Também há uma versão com o caldo de peixe, chamado bún cá (12,50€). Luís Costa, que já trabalhou em locais como o Trobadores, aconselha também a massa salteada com bifinhos de vaca e bok choy (repolho chinês), chamado mee bò.



A ementa de almoço tem preços mais baixos já que, por 9,90€, pode escolher um prato do dia – normalmente o pho chay ou o mee bò – e tem direito a uma sobremesa e a bebida. O Vietname, ou a Cochinchina para os portugueses do século XVI, acabou de ficar mais perto."

Boas viagens a bordo dos veículos da CCFL e se for o caso, bom apetite!

[n.d.r]: Cortesia João Alberto

Sem comentários:

Translate