quarta-feira, 2 de abril de 2014

O nosso obrigado ao Agente Martins da Polícia Municipal

Só quem passa esporadicamente no Cais do Sodré, poderá ignorar a importância de um dos agentes da Polícia Municipal que ali costuma estar de serviço a ordenar e a repor o respeito entre os automobilistas que constantemente olham só para o seu próprio umbigo. As obras no eixo ribeirinho começaram há já alguns anos e desde então a presença do agente da Polícia Municipal, na Praça Duque da Terceira tem sido fundamental para o bom funcionamento das carreiras que ali passam. Mas não pode ser um agente qualquer. 

Não se quer com isto fazer qualquer tipo de comparação com as arbitragens ou com casos BPN's e afins em que uns beneficiam outros, ao mesmo tempo que outros são sempre os prejudicados a pagar a factura. O certo é que no que ao trânsito diz respeito, aquele cruzamento acaba de nos provar que nem sempre a polícia de trânsito é a melhor solução, até porque já por lá passaram diversas vezes. A opinião entre os guarda-freios é generalizada e creio ser igualmente subscrita pelos nossos colegas motoristas, de que o agente Martins da Polícia Municipal, é o único que consegue pôr o Cais do Sodré a andar. 

A sua presença naquela praça é notória e quando lá não está, as filas chegam a Santos ou à Praça do Comércio, causando longos atrasos nas carreiras que ali passam ou nas recolhas de quem chega a estar ali parado na hora que devia já estar a chegar a casa. 

Portanto se há homenagem que tem de ser feita, esta é uma delas, porque o trabalho do agente Martins, reflecte-se no dia-a-dia de quem usa o transporte público e é tão importante no Cais do Sodré, como o do agente Paixão no cruzamento de Belém. Pronto para dar prioridade ao transporte, ou para ordenar que quem passa um contínuo para escapar à fila, seja obrigado a seguir para a direita contornando a praça, porque o tempo das "xico-espertices" tem de chegar ao fim. O agente Martins é sem dúvida uma peça fundamental num Cais do Sodré que se prepara agora para novos constrangimentos com o encerramento da Av.Ribeira das Naus para a segunda fase da obra.

Assim sendo, e após conversa com alguns guarda-freios, decidimos que a Polícia Municipal, devia ter conhecimento desde nosso louvor ao referido agente porque nem só de reclamações devem ser feitas as comunicações às entidades competentes. O nosso obrigado ao agente Martins, do Cais do Sodré, que sempre que pode vai dando também alguma ajuda ao terminal dos eléctricos turísticos da Praça do Comércio, constantemente invadido por Tuk-Tuk's ou Táxis.

5 comentários:

marques costa disse...

concordo plenamente! ele tem a vantagem de já saber quando os sinais vão "fechar e abrir", antecipando-se a eles. meterem outro agente que não conheça os sinais e a circulação na zona é praticamente a mesma coisa do que não estar lá ninguém. além disso a sua " postura" demonstra que sabe o que está a fazer e está satisfeito com o que está a fazer. e já me desenrascou numa asneira que fiz! a 1ª vez que me mandaram fazer a carreira 15 ( com autocarro, claro), segui a linha do electrico como mandam fazer! só que ali não era para seguir a linha, era para fazer como o 28 em direcção a algés! e eu estava na duvida se o bus cabia entre os pinos e depois na duvida com o sinal semaforico. ele apercebeu-se e lá mandou para o transito e mandou-me seguir! e passou mesmo entre os pinos!.
Marques.

CR 35 disse...

Eu assino por baixo,sem ele aquilo não anda ,boa visão rápido nas decisões e não deixa passar os espertos sem dar uma lição.Merece um louvor de todos os Manivelas e dos Rodas de Borracha.

Anónimo disse...

Não podia deixar de comentar esta notícia......Todos os dia de manhã passo por aquele largo Lisboeta e só posso dizer que agradeço o facto daquele agente se encontrar por lá. Até já ganhei um certo carinho por aquela figura, apesar de nunca lhe ter dirigido palavra, e sinto falta da presença quando não está....Continuação de bom trabalho
e o que lhe desejo.....

Anónimo disse...

Apesar de ser do Porto, desloco-me várias vezes a Lisboa e também já tive oportunidade de reparar no trabalho do agente em causa. Os meus parabéns pelo brio que demonstra que se estendem à publicação por publicitar este facto. É pena qua hajam tão poucos comentários. Certamente se fosse pra falar mal, esta coluna contaria já com várias páginas.

ricardo disse...

Bem merecida esta homenagem ao agente Martins. Ele devia ficar todos os dias a controlar o trânsito no Cais Sodre mas à falta dessa possibilidade sugeria que indicassem o agente Martins para dar formação a um grupinho que ficasse encarregue do trânsito desta praça problemática no que ao trânsito diz respeito.

Translate