terça-feira, 10 de setembro de 2013

[Foto-Reportagem]: O 28 já chegou ao Castelo!



Muitos são os turistas que chegados às Portas do Sol, perguntam: “-Mas afinal onde está o Castelo?” Ora o Castelo fica a cerca de 10 minutos das Portas do Sol, mas até então o 28 e o 12 não conseguiam lá chegar. Mas o certo é que desde o passado dia 31 de Agosto de 2013, precisamente a data em que se comemoraram os 112 anos do carro eléctrico, o 28 chegou ao Castelo e tudo graças ao “28 Café”.

Localizado na Rua de Santa Cruz do Castelo 45 a 47ª, o “28 Café”, fica no coração do bairro do Castelo a paredes meias com a muralha, num local simpático e acolhedor (embora um pouco escondido). Quem ali chega é recebido por uma enorme fotografia do Rossio de outros tempos com um poema de Ary dos Santos - "O amarelo da Carris vai de Alfama à Mouraria, quem diria. Vai da Baixa ao Bairro Alto, trepa à Graça em sobressalto sem saber geografia(...)" e constata de imediato que vale a pena entrar e desfrutar de um gelado ou de um lanche e tudo claro está, a bordo de um eléctrico. 

O modelo 330 foi a base do projecto que teve o apoio da Carris e mais precisamente do seu Museu, que através da contribuição dos desenhos originais do eléctrico 330 permitiu que se concluísse um espectacular trabalho de carpintaria, onde tudo foi feito e pensado ao pormenor desde os bancos às janelas.

Os avisos são claros, “cuidado com os carteiristas”, não vá o diabo tece-las, até porque é natural que se distraia com o espaço envolvente que deixa quem ali entra numa primeira fase em modo “Pause”. Os turistas encantados com a viagem a bordo do 28E ficam também encantados com este café e não deixam de exclamar «ohhh, Is a Tram 28!».

Longe das enchentes dos eléctricos aqui pode usufruir de uma pequena esplanada ou dos «24 lugares sentados e 12 em Pé», conforme referido no interior. E o ideal é “não se debruçar nas janelas” até porque através das mesmas está um conjunto de fotografias cedidas pelo Museu da Carris que contam a história do eléctrico de Lisboa desde o Americano aos dias de hoje, falando também sobre os modelos que fizeram parte da história da Carris e que estão ainda patentes no Museu da Carris, na Estação de Santo Amaro.

A simpatia dos “guarda-freios” de serviço ao balcão ou às mesas é também por si só um bom cartão-de-visita deste novo espaço que tem também na sua lista uma «Tosta 28» em Pão Saloio composta por Presunto, Tomate, Queijo e Orégãos com Manteiga de Alho, que pode ser acompanhada de uma Imperial Estrella. Para quem pretende uma refeição mais composta há também as diversas Saladas a preços acessíveis. Os miúdos não foram esquecidos e neste café há também uma montra com alguns souvenirs como o eléctrico de Lisboa à escala 1/87, um puzzle 3D ou umas bolachas sortidas tudo com o eléctrico em destaque.

Para já o “28 Café” encontrou o seu primeiro terminal no Castelo de São Jorge, mas pergunta-se já qual será a próxima paragem deste espaço que não necessita qualquer título de transporte e onde a história de Lisboa e dos seus eléctricos se senta à mesa para desfrutar de uma boa refeição, ou simplesmente de um café. O “28 Café” está aberto de 2ª a 5ª e Domingos das 10h00 às 20h00. Às 6ªs e Sábados das 10h00 às 21h00. 

Veja então algumas das fotografias que lhe dão a conhecer o espaço "28 Café" e depois vá até lá porque se há locais que valem a pena ser vistos pessoalmente, este é um deles.

FOTO-REPORTAGEM DE RAFAEL SANTOS

A entrada com um poema de Ary dos Santos a dar as boas vindas

A zona do balcão com a frente do 330

Turistas russas encantadas com o "28 Tramvaj café"

Lotação do 28 Café

Impossível ficar-se indiferente a este espaço

«O amarelo da carris»

Até a porta da WC não ficou de fora da decoração

A simpatia da «guarda-freio» de serviço ao balcão retribuída com sorrisos estrangeiros

O "guarda-freio" de serviço às mesas pronto a servir quem os visita

A história dos eléctricos nas paredes do 28 Café

A parceria com o Museu da carris possibilita a sua divulgação no espaço

Nem os avisos faltam neste espaço onde tudo foi pensado ao pormenor

Local agradável para uma pausa durante a visita ao Castelo

O original 330 que serviu de modelo ao café

A divulgação ao Museu da Carris
Sem dúvida o eléctrico café mais famoso de Lisboa

O Diário do Tripulante agradece a forma como foi recebido e a colaboração por parte do "28 Café" e sua gerência para a captação das fotografias agora apresentadas.

4 comentários:

CR 35 disse...

Bem,merece bem a pena visitar e apreciar com um canapé pelo meio mesmo que não sejam adeptos dos eléctricos está muito bem imaginado,mas as peças são mesmo de um eléctrico ou é reprodução?

Bruno Jose Bettencourt Reis disse...

As peças deste maravilhoso espaço foram todas reproduzidas à medida pela Noble Table. www.nobletable.pt

Alexandre F disse...

Este espaço é verdadeiramente fantástico! O cuidado, rigor e a originalidade deste tributo ao mítico 28 está perfeito.
O mesmo cuidado estende-se ao impecável serviço e qualidade/frescura da comida.
Ali, todos os pedidos vêm com um sorriso.
Uma grande iniciativa. Parabéns

Orquidia do Jardim disse...

Fantastica ideia! Só um reparo, a cerveja devia ser portuguesa por exemplo Sagres. O ambiente não tem nada ar espanhol.

Adorei a sua publicação.

Tenho que ir lá qualquer dia.

Translate