quarta-feira, 9 de março de 2011

O arquitecto que tirou mal as medidas...

Já por aqui foi dito várias vezes, que um serviço na carreira 18E é quase como estar de folga, tendo em conta as restantes carreiras. Mas o certo é que não morro de amores por esta monotonia da carreira que liga a Rua da Alfândega à Ajuda, contudo e como a semana até foi cansativa para os lados da 28E com algo semelhante a uma invasão turística, decidi desta vez não trocar o serviço que me atribuíram esta tarde na carreira 18E.

Ainda assim, o facto de esta ser uma carreira, por norma calma, não impede que de vez em quando apareça lá alguém que nos deixa perplexo com o à vontade ou como se diz na gíria, com a «lata» idêntica à de um rapaz que esta tarde na Avenida 24 de Julho com destino à Ajuda, me mandou parar enquanto corria para a paragem.

Ao aperceber-me que o rapaz corria em direcção à paragem, em jeito de corrida ao concurso «the biggest loser» e depois de ter levantado o braço ainda que com algum custo, lá abrandei a marcha até que parei então na paragem ainda com um compasso de espera pelo rapaz. Este entra, senta-se e nem titulo de transporte, nem um "obrigado", nem sequer "boa tarde"....

- Desculpe. Não se importa de validar o seu título de transporte!?... questionei tendo como resposta algo imperceptível num sotaque ou açoriano ou madeirense até que depois de lhe ter dito que não entendi, me respondeu com um à vontade... «Não tenho título...» ao mesmo tempo que permanecia sentado. Sugeri-lhe então que pagasse uma tarifa de bordo ou que saísse. Optou pela segunda via depois de algum tempo na esperança que eu fosse convencido pelo comentário que ainda proferiu «mas é só até ali ao fuunddoooo»

Lá seguiu a pé pela Avenida 24 de Julho. Mas ainda tinha de haver outro episódio a marcar este meu regresso à 18 e a poucas horas do final do serviço. Na última viagem para a Alfândega antes da recolha, uma interrupção na Boa Hora. Um Skoda que segundo o papel colado no tabelier pertencia a um arquitecto, que ao que parece, tirou mal as medidas do estacionamento tendo ficado a impedir a passagem dos eléctricos e o regresso a casa de alguns passageiros e até guarda-freios que lá ficaram mais de uma hora, o tempo que durou a missa na igreja da Boa Hora. 

Terminada a missa, lá veio a descer a calçada como se fosse dono do mundo e nem com um pedido de desculpas, lá acabou por tirar o carro, com a sorte de não ter sido rebocado. 

10 comentários:

pedro santos disse...

fico sempre de boca aberta com a facilidade e compreensão que parece haver para com este tipo de abusos. Como é possível que um transporte colectivo fique uma hora parado por causa de uma carro mal estacionado? Neste caso ser resignado e paciente é um estimulo à má educação, ao desleixo, à falta de respeito pela sociedade em geral.
Por favor, pelo bem de todos, insista em chamar a policia e o reboque com rapidez, insista na punição de cada um destes abusadores. Obrigado

Angelo disse...

Se era só até ali ao fundo, é bem feito que tenha ido a pé! Grandesíssima lata!

E eu gostaria que Lisboa estivesse preparada para rebocar os carros mal estacionados mais depressa. A ver se o pessoal não aprendia logo!?

Anónimo disse...

é por isso que a maioria das vezes já não espero por ninguem, sempre que espero acontece-me o mesmo e fico arrependido de ter esperado e tenho de engolir em seco, então está encontrado o remedio, se não for idosa ou idoso, vai no proximo.

Marques.

Joao disse...

Por acaso é algo que sempre achei que deviamos ser mais "brutos". Rebocar os carros quanto antes, sem tempo de espera :P

Mas o problema é que continuamos a pensar que "para rebocar só pode ser a PSP" e não empresas privadas.

Anónimo disse...

eu seja quem for nao esta na paragem nem o vejo ele/a e que ve so a cor amarela a passar. em questao de reboques a vontade em rebocar nao e muita por isso atrasao o mais que podem

Anónimo disse...

o ultimo fim de semana houve uma interrupçao em sao tome, o ultimo 28E que ia a caminho da graça que apanho com regularidade. entao o unico reboque iria estar disponivel as 5 da manha.... estava de serviço em vila franca de xira

CR 35 disse...

Povo !é continuar a tradição dos Operários Estivadores ....está a ocupar a linha e queremos ir para casa,pega-se nele em peso e atira-se ou contra a parede ou fica virado ao contrário ou então punham-no no meio da rua .Não era preciso reboques.

LM disse...

Olá,
Não conhecia este blog, mas cheguei aqui por sugestão de uma amiga e gostei muito. O 28E passa à minha porta e eu adoro! Os carros estacionados em cima da linha dão cabo do eléctrico enquanto transporte alternativo ao carro, por exemplo. Eu ando de 28E todos os dias e espanto-me sempre com a resignação dos guarda-freios quando ficam encravados atrás de um carro. Penso sinceramente que a melhor forma de resolver isto seria dar a possibilidade aos eléctricos de riscarem os carros. O eléctrico é de ferro, os carros são de chapa fininha, fininha... basta avançar sem medos.. :)
Tenho a certeza que os senhores condutores passariam a ter muito mais cuidado com os seus popós! :)
Um abraço e parabéns pelo blog,
LM

Anónimo disse...

Eu não te disse que ias ficar lá pendurado Rafael?
Uma hora? eu nem 10 minutos ficava lá sem dizer nada... desde que foste aí para Santo Amaro ficaste molezinho...
Devias ter ido lá à Igreja interromper aquilo e pedir ao Sr Padre para dizer ali em alto e bom som no meio da homilia pro Engenheiro Caramelo ir lá tirar o carro senão era rebocado.

Anónimo disse...

enfim....bla bla bla

Translate