sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Afinal o tamanho não importa...

Grande ou pequeno, largo ou estreito, a conclusão a que chego depois desta tarde ter regressado à carreira 25E é que o tamanho não importa. Como podem ver na foto que tive a oportunidade de tirar durante os 45 minutos em que este carro impediu a passagem do eléctrico, além de estorvar a passagem do eléctrico, este senhor ou senhora que ali deixou o carro - ou o microcarro - como o próprio dizia no logotipo, impedia também a passagem dos peões, ou será que o conceito de passeio para o condutor do carro vermelho é diferente?

Depois cheguei a outra conclusão. É que por muito que se tente evitar o mal, questionando os passageiros sobre os seus destinos, a fim de lhes sugerir alternativas através de outras carreiras, nomeadamente dos autocarros, ainda somos bombardeados com a revolta dos mesmos e muitos chegam mesmo a "bater o pé" e a dizer que «daqui não saio». Pois bem, ninguém o obriga. Outros há que por estranharem o tempo da demora na chegada do eléctrico na paragem imediatamente a seguir à interrupção, deslocam-se até ao local, porque muito provavelmente, dos que foram a pé, passaram a mensagem. 

«Então chefe, não anda por causa do carro?», ora não há pergunta mais desapropriada que esta, quando está à vista de todos que não sou eu que estou sem vontade de ligar a corrente e transportar as pessoas. Pois na verdade quando entrei na Carris, foi com essa condição. E assim vai o respeito diário dos condutores da nossa cidade pelos utilizadores do transporte público.

8 comentários:

angelo disse...

Boa noite e que te encontre de bem com a tua nova vida dentro de nossa empresa, mas sabes longe vão ou têm que ir os tempos em que nos tinha-mos que preocupar com horários e viagens e fazer tudo dentro do tempo, porque mesmo que queira-os fazer, e muitos de nós querem e queriam fazer , as nossas populações as nossas mentes brilhantes não deixam, e digo eu faço o que posso e mais não me deixam, mas mesmo este final de frase ás vezes é mal visto , por isso falo o que posso a mais não sou obrigado, mas mais uma vez este final de frase ainda para mais na nossa empresa não chega, por isso quase que desisto , mas quase , porque aprendi e ensino ás minhas filhas, para não desistir porque desistir é morrer,mas voltando á ideia inicial , faço o que me deixam , e tú Rafael nesse dia do micro carro , fizes-te o que esse condutor te deixou fazer. Culpa, ora a culpa de quem será, não me vou alongar mais porque ainda ia perceber que a culpa era tua, e sabes porque, porque estavas num país onde não se respeita ningúem ,governo deixa fazer, policia deixa fazer carris deixa fazer, condutores fazem os peôes ficam sem passeio, eléctrico não passa , passageiros chegam tarde ao seu destino e a culpa. A culpa é tua Rafael estavas no local e hora errada, nem tú devias estar lá nem muito menos o eléctrico, abraço e continua

Edgar disse...

Se só foram 45 minutos os reboques da PSP estão a melhorar bastante os tempos de resposta...

O ideal era demorarem 10 minutos no máximo, mas comparativamente ao que acontecia a uns anos atrás estamos bem melhor

purpurina disse...

não há maneira de a carris fazer um acordo qualquer com a psp e arranjar uma equipa própria de reboques que possa actuar nestas situações?

Paulo Ribeiro disse...

Era empurrar esses automóveis à frente do eléctrico. De certeza que dava gozo fazê-lo! :D

APS disse...

Caro Rafael

Vê o inconveniente de andar na "linha"!

Um abraço
APS

Filipe disse...

É sempre nessa puta de curva.
Eu juro que um dia parto um carro todo e ainda apresento a factura por danos causados.

nuno disse...

Caro Rafael ficou lá o eléctrico e o 713! Manias da Lapa o que fazer???

CR 35 disse...

Micro carro !então não havia quatro maduros nas imediações para o pegarem em peso e meterem o carro no meio da rua!já não há homens como antigamente! se fosse um carro!mas uma amostra de transporte!boas viagens com interrupções à mistura que fazem parte da viagem a bordo dos que andam na linha.

Translate