terça-feira, 4 de maio de 2010

Diário de um tenista a bordo dos eléctricos da Carris

Hoje o amarelo da bola com que costuma jogar deu lugar ao amarelo do eléctrico que aprendeu a conduzir. Nas bandeiras de destino, o número 1 anunciava que a bordo ia Federer. O melhor tenista do Mundo, Roger Federer teve hoje um passeio diferente do habitual pelas ruas de Lisboa, nesta sua segunda estadia em Portugal, por ocasião do Estoril Open'10. O número um mundial, treinou esta manhã no Jamor, "mas ainda antes de se dirigir ao Estádio Nacional, percorreu algumas das zonas históricas da cidade de Lisboa aos “comandos” de um… eléctrico! Numa iniciativa conjunta da João Lagos Sports e Carris, o jogador suíço treinou a condução do tradicional eléctrico lisboeta no Museu do Eléctrico, no Largo do Calvário (Alcântara), tendo aí recebido o respectivo diploma pela aprendizagem", diz o site da prova.

O percurso teve início em Santo Amaro, num eléctrico, e terminou no recinto do Estoril Open, num autocarro histórico (de 1952), pertencente ao Museu da CARRIS. No final o tenista mostrou que está habituado a andar de transportes públicos e que é defensor de uma mobilidade mais sustentável.

“Estou bastante habituado a andar de eléctrico, pois costumava viajar desta forma no Inverno quando treinava em Basileia e no verão andava de bicicleta. Daí que não seja totalmente estranho para mim este meio de transporte. O facto de ter passeado num eléctrico antigo e com tanta história, numa cidade que não conheço, tornou a manhã ainda mais agradável”, confessou Federer.

O site da Lagos Sport adianta ainda que após a passagem pela Rua da Junqueira, "Federer viu em primeiro lugar o Museu dos Coches, seguindo-se depois a passagem em frente à residência oficial do Presidente da República, Cavaco Silva, no Palácio de Belém. A mítica fábrica dos Pastéis de Belém antecedeu a paragem em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, onde o grupo de alunos do Colégio St. Julians de Carcavelos se alargou a 16 crianças, que daí seguiram pela “mão” do suíço até à Avenida da Torre de Belém, terminando o passeio na Rotunda de Algés. A viagem até ao Complexo de Ténis do Estádio Nacional do Jamor, onde treinou com Leonardo Tavares, novamente no court 13, foi feita dentro de um autocarro, igualmente cedido pela Carris, datado de 1957 (!), que deixou Roger Federer à entrada do Sponsors Village".

Este será portanto, um dia diferente na carreira do tenista Roger Federer que até já pode contar aos seus amigos que conduziu um dos mais antigos transportes da cidade de Lisboa - o amarelo da Carris. Um dia que também será recordado pela Guarda-Freio e restante comitiva que o acompanhou nesta viagem onde Federer recordou a sua infância.

Foto do exterior do eléctrico com Federer aos Comandos: site Carris.pt
Foto do Interior do eléctrico com Federer mostrando diploma: Estorilopen.net

2 comentários:

Joao Baptista disse...

estas iniciativas fazem mais pelo turismo da capital do que muitas campanhas parvas

Anónimo disse...

Tambem quero dar uma voltinha a conduzir um eléctrico... tenho de me dedicar ao tenis

Translate