quarta-feira, 31 de março de 2010

A manual: Se fosse Segunda ou Quinta...

...Era caso para se dizer: «anda à roda!», tal como a Lotaria. Prestes a acabar a 5ª. semana de trabalho nos eléctricos, depois da minha passagem pelos autocarros, lá tinha de surgir a primeira avaria que me fez recolher com o eléctrico a manual. Valeu a experiência feita durante a formação, que foi suficiente para aplicar em prática os procedimentos a ter nestes casos em que o freio manual (ver foto em baixo) passa a ser o recurso único e principal para travar o eléctrico, e para ajudar a aumentar os biceps do guarda-freio e sem recurso ao ginásio.

Para os muitos espanhóis que invadiram Lisboa em vésperas de Páscoa, ver o guarda-freio em pé a dar à roda, ou "à carica" como um colega chegou a apelidar na formação, é sempre motivo para rir e fotografar, até porque eléctricos como os nossos não há em lado nenhum. Para muitos deles a viagem durou apenas uma paragem entre o terminal dos Prazeres e
a Igreja de Santo Condestável, de onde levei o carro «reservado» e a manual até à estação de Santo Amaro, onde tinha já um eléctrico pronto para que não se perdesse mais tempo.

Hoje senti realmente a adrenalina de segurar uma "casinha andante" perante as pessoas que embora vejam algo diferente no eléctrico metem-se de propósito à frente do eléctrico, quase como que pensassem: "deixa lá por este a dar ao braço..." Afinal os carros são como as pessoas. Para avariarem, basta estarem bons!

Avaria à parte, o dia até foi bem diferente do habitual. A carreira 25E já se consegue fazer sem atrasos, mas para tal também convém dizer que não apanhei nenhuma interrupção na Rua de São Paulo, coisa rara nos tempos que correm. Os bancos repletos de turistas obrigam gente a ir de pé chegando mesmo o eléctrico a subir a Lapa tipo "sardinha em lata". Afinal o que os turistas querem é eléctricos, nem que tenham de chegar ao terminal, saírem e voltarem a entrar. A cada curva uma risada, uma foto, um comentário e uma experiência que certamente vão contar no regresso a casa.

Na Rua da Alfândega, um senhor aproxima-se do eléctrico e consigo trazia o seu filho ao qual lhe daria uns 5 ou 6 anos. A criança via pela primeira vez um eléctrico quando tinha passado pela Praça do Comércio e o pai fez-lhe então o favor de parar o carro em frente à Casa dos Bicos e esperar que chegasse um eléctrico. Foi então que depois de me ter contado a história, me pede autorização para tirar uma foto ao rapaz na entrada do eléctrico.

Alegre, o rapaz sobe o estribo do eléctrico 574 e encosta-se à porta, mas como a criança gostou mesmo do eléctrico, até teve direito a uma foto sentado na cadeira do guarda-freio, com a minha ajuda. E retribuiu com um sorriso de orelha a orelha e a prova de que um simples gesto vale muita coisa. Aos pulos lá foi ele de mão dada com o pai para o carro, mas sempre com um olhar de esguelha para o eléctrico e dizendo-me adeus. Será que temos guarda-freio? O futuro o dirá!

Por hoje chega de tranvias, mas amanhã há mais! E para os que ás vezes perguntam para que serve aquela roda ao lado da porta de entrada, aqui está neste post a explicação. Trata-se da roda de freio manual, habitualmente utilizada como travão de parque e que é usada nestas situações pontuais.

Aproveito então para desejar a todos os leitores do blog diariodotripulante.blogspot.com
, uma Páscoa Feliz e votos de boas viagens, seja de eléctrico, tranvia, strassenbahn ou tramway, mas que seja nos nossos porque são únicos!

4 comentários:

Vasco Lopes disse...

Estava a ver que não te calhava uma situação destas para suares um bocadinho.
Andas sempre tão descansadinho a conduzir os Ferraris amarelos, não pode ser nada... :)

Abraço.

Vasco Lopes

Angelo disse...

Já aprendi uma coisa hoje!

E que bela história também essa a do miúdo!

Andre Bravo Ferreira disse...

Também não sabia para que servia a "roda ao lado da porta", aprendi uma nova.

Como o tempo passa, 5ª semana já...

Boa Pascoa a todos.

Abraço.

Busorganist disse...

Uma bela história e uma bela explicação..
Já agora, não sei se soubeste, não apanhaste impedimentos, mas eles existiram.. o 4201 e o 4202 (701 c1) creio foram desviados da 701 para a 25E.

Uma Boa Páscoa e boas campainhadelas. Um abraço.

Translate