terça-feira, 5 de janeiro de 2010

A blogosfera recorda: Proibido Parar e Estacionar, Excepto CARRIS

Falta de civismo, desrespeito, rebaldaria. Estas podem ser três palavras que caracterizam o que se vai vendo por esta cidade, nomeadamente no que diz respeito ao trânsito e ao mau estacionamento, sobretudo nas paragens dos autocarros. Na maioria dos casos, são apenas os passageiros que reparam nestas situações, até porque são eles que pretendem aceder a um transporte que se vê obrigado a parar alguns metros distante do abrigo.

Estas situações, que em alguns casos já foram aqui referidas por mim, seja através dos textos que vou escrevendo, seja através dos recentes vídeos que produzi a bordo de algumas carreiras, mostram a educação - ou falta dela - dos automobilistas que andam pela nosso país. Se necessitam de fazer um pagamento no multibanco, estacionam na paragem. Se precisam comprar um perfume na perfumaria que fica dentro do centro comercial que não tem parque de estacionamento, lá estão eles a deixar o carro no recorte da paragem. Se há mercadorias para entregar, lá deixam as carrinhas... na paragem.

Então e nós que queremos apanhar as pessoas que estão á nossa espera na paragem, paramos onde? A pergunta só pode ter como resposta, a faixa de rodagem, estorvando os restantes utentes da via. Tudo graças aos senhores e senhoras que se julgam donos de tudo e de todos e que quem vier atrás se desenrasque. Já nem a buzinas ligam, quanto mais a sinais de luzes.

Outros há que podem pensar que tudo isto não passa de uma implicância da parte dos motoristas, mas o certo é que o principal prejudicado é o utente dos transportes, numa altura em que se incentiva cada vez mais ao uso do transporte público. Já imaginou um idoso ter de subir um degrau do autocarro quando este poderia estar mais baixo se tivesse parado junto ao lancil do passeio?

Mas nem sempre são apenas os motoristas e os passageiros que dão conta destes problemas. Na blogosfera encontram-se posts que abordam estes problemas, que em alguns dos casos, se forem multados «cai o Carmo e a Trindade», e é precisamente num blog com este título que encontrei uma larga referência ás paragens dos autocarros em Lisboa e ao estacionamento abusivo por parte dos automobilistas. A pergunta que se coloca é: Qual a solução?

Em OCarmoeaTrindade.blogspot.com são apresentadas imagens de paragens que se situam bem no centro da cidade, na Avenida de Roma e que são constantemente utilizadas como estacionamento para quem ali vai ás compras. O autor do blog chega mesmo a publicar imagens das viaturas mal estacionadas e com a policia a passar por perto sem nada fazer, como refere o post intitulado Carris - I

Mas a tentativa por parte de alguns motoristas em fazer ver a estes senhores que estão a estorvar também foi provada pelo «Carmo e a Trindade» no post Carris - II, mas nem sempre as coisas correm de feição. Se uns até pedem desculpa, outros há que se estão nas tintas para o que diz quem vai ao volante do autocarro ou até mesmo os passageiros como se pode comprovar através das imagens que são publicadas num outro texto do autor do blog, em Carris - III.

Carlos Medina Ribeiro é um dos que contribui para o blog que mostra estas situações com que nós motoristas nos deparamos diariamente e até pergunta a certa altura, quantas são as viaturas de vigilância Bus, dando a querer entender que ainda há muito para fazer neste campo, como provam as imagens que acompanham este texto.


Mas quem também não deixa passar esta questão em branco é o blog de quem quer andar a pé. O blog PasseioLivre.blogspot.com diz que surgiu para «clamar pela consciência cívica dos condutores e dar aos indignados uma ferramenta para expressarem legalmente a sua indignação, não pretendendo de forma alguma apelar a qualquer tipo de dano nos veículos infractores», e se em grande parte dos assuntos aqui debatidos são a ocupação indevida dos passeios, o certo é que quem anda a pé utiliza também o transporte público e como tal sente-se lesado pelos senhores que estacionam nas paragens.

O «PasseioLivre» mostra através de um post recente «um novo paradigma no apoio aos transportes públicos» e nele estão contidas também imagens desse mesmo problema - a ocupação das paragens por outros veículos que não, os transportes públicos.
n.d.r.: As imagens apresentadas foram retiradas dos blogs referidos no texto e são da respectiva responsabilidade dos seus autores.

14 comentários:

Carlos Medina Ribeiro disse...

Muito grato pelas referências aqui feitas!

Apenas uma correcção importante:

No blogue referido («O Carmo e a Trindade») eu sou apenas um dos muitos "contribuidores".

Aquele a que poderemos chamar um blogue "meu" (porque fui eu que o criei e mantenho, com mais 18 amigos) é o Sorumbático:

http//sorumbatico.blogspot.com

que, por sinal, fez hoje (dia 5) 5 anos de vida.

Lá o (vos) esperamos!

Um abraço

Rafael Santos disse...

Carlos,

Está feita a correcção. Peço desculpa pelo equívoco.

Abraço,

Rafael Santos

Andre Bravo Ferreira disse...

À noite e ao fim-de-semana nas paragens em certas avenidas como João XXI, Mouzinho de Albuquerque, Berna, entre outras ainda estão piores! A Policia passa por esses sítios e nada faz.

Grande abraço.

wkaemena disse...

Como se fosse uma coisa nova !! O problem e muito facil de solucionar ! Aplicar as leis pela policia, e reboque dos carros imediatamente, preço para recuperar o carro 150 Euros. Problema resolvido em poucas semana e o cofre cheio de dinheiro ! Por isso na Alemanha NINGUÉM se atreve por um carro na paragem. Vejam aqui uma zona de Lisboa onde parque pago não faz falta, mas fica muito mais cómodo estacionar nas paragens http://bit.ly/8LIOjA

wkaemena disse...

Pois bem, se a policia não faz nada, então porque não fazer um queixa contra a policia pelo não cumprimento de tarefas deles.

Angelo disse...

Eu que agora não faço mais nada do que andar por aí, vejo cenas trites todos os dias. Só nunca vi a polícia não fazer nada... Mas pode ser que quando vir, lhes diga alguma coisa.

Mais, com fotos e tudo, é mandar os testemunhos para a polícia. Nem que seja todos os dias!

Carlos Medina Ribeiro disse...

Wkaemena,

Tenho afixado (e posso enviar-lhe) inúmeras fotos de carros da polícia (PSP e PM) em estacionamento ilegal (paragens de autocarros, estacionamentos para deficientes!!, etc).

À porta da A. M. de Lisboa, estão lá sempre carros e carrinhas da P.M e da autarquia, mesmo a seguir à placa de Paragem Proibida. Ainda ontem fotografei 3, mas não era necessário, pois (se não mandaram apagar as imagens) até aparecem no Google Street View!!

Rodrigo disse...

A primeira foto é a minha paragem de todos os dias, há sempre carros parados, ao fim de semana é ainda pior.

Filipe disse...

Genial, Rafael!

Anónimo disse...

Caro Rafael,
Sei que é off-topic, mas queria saber como acha a carreira 777. É segura?

CR 35 disse...

Povo! a polícia também utiliza meios de transporte e por vezes a cidade não tem sítios para parar e de certeza que as paragens por eles utilizadas para poderem parar para autuar servem apenas por uns minutos, a polícia até passa multas todos os dias mas para quê! para os previcadores não as pagarem!na carreira 35 o dono de um mercedes levou nos meses anteriores á volta de 60 multas quem quiser confirmar junto de alguns motoristas ou dos policias que andaram no SMART é só confirmar! fora aquelas que não se conseguiu visualizar no pára -brisas do dito , mas também o povo pode pedir explicações á câmara o porquê de algumas artérias da cidade com passeios do tamanho de avenidas não se fazerem alguns recortes para se poder estacionar ou parar temporáriamente ,assim o povo peão passava á vontade na mesma nos passeios, assim como o nosso povo peão utilizador de cadeiras de rodas e bengalas . Boas viagens a bordo dos veículos da CCFL

Rafael Santos disse...

Anónimo das 21:52,

Sobre a carreira 777, se é segura ou não? Depende de vários factores, mas posso dizer que nunca tive por lá algum problema, mas notei que desde o momento em que deixou de entrar no bairro 7 céus e passou a circular por fora, tornou-se mais agradável de se fazer, mas creio que há carreiras piores actualmente.

Anónimo disse...

A solução para as paragens de autocarros, livres de outros veículos, não existe. Sinceramente, para mim até facilita a manobra na aproximação à paragem. Fica na via de trânsito, evitando assim os zig-zags na entrada e depois na saída da mesma.
Até digo mais, devia ser abolido o recorte feito nos passeios para as paragens, porque esse mesmo recorte é um claro convite ao abuso, ou aproveitavam-se esses recortes para cargas e descargas, e as paragens eram então deslocadas para outro ponto que não fosse em cima de semáforos ou passadeiras, facto que a Carris e a CML deviam de reflectir. Já os corredores dos TP é a mesma coisa, servem para tudo, menos para os TP lá circularem.

Certo é que quem sofre mais com isso são os clientes com dificuldades de locomoção. De que serve um autocarro equipado com rampa de acesso a cadeira de rodas, se nos passeios junto às paragens existem pilaretes? ou invés disso existem carros em cima do passeio? ou existem carros entre o autocarro e a paragem?

No estacionamento abusivo, o governo tem aqui uma excelente fonte de receitas, senão vejamos, a CML gasta dinheiro em sinais de trânsito que ninguém respeita, gasta dinheiro em pilaretes, etc. só porque não tem ninguém ou não têm vontade de fiscalizar as infracções. Que tal alargar poderes, como por exemplo à EMEL, para poderem fiscalizar, multar e mesmo rebocar fora dos seus parques concessionados? Substituía a PSP ou a Polícia Municipal nessas funções, deixando-os para outras situações bem mais importantes e ao mesmo tempo ajudava a gerar emprego. Que tal?

A Faixa do Bucho.

Carlos Medina Ribeiro disse...

'A Faixa do Bucho'

A MEL já pode actuar fora dos lugares concessionados. Tenho comigo fotos de carros bloqueados em parques para motociclos, em cima de passeio e em 2ª fila.

O problema é que o faz raramente, não sendo, portanto, dissuasora.

-

Deve haver meios físicos para impedir (ou, pelo menos, dificultar) o acesso a carros ligeiros aos recortes.
Estou a pensar em tubos semi-rígidos, de diâmetro aprox. 20cm, fixados no chão, ao longo da linha separadora da faixa de rodagem com a paragem.

Translate