sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Um ano e três meses depois...50.000 visitas

Um ano e três meses depois de ter entrado na rede, o «diário do tripulante» atinge os 50.000 click's. Tudo começou numa brincadeira e apenas para os amigos. A ideia era apenas mostrar o insólito desta profissão. Os primeiros post's neste espaço, começaram a ser falados de boca em boca e num instante o blog passava do desconhecido para a rádio com a referência do jornalista Pedro Rolo Duarte. Daí para a frente, seguiram-se as revistas, os jornais e até alguns convites da televisão, que até então vinha recusando, porque a ideia principal deste blog não era ser conhecido ou ganhar fama, mas sim valorizar também, todo um sector que é cada vez mais desprezado.

Estas 50.000 visitas podem não dizer nada, mas para mim dizem muito. Dizem por exemplo que valeu a pena a criação deste blog, pelo que já vivi, pelo que já pude contar e até comentar. Umas histórias mais engraçadas que outras, uns dias melhores e outros piores, mas todos eles e todos os textos aqui escritos, retratam uma realidade que muitos desconhecem e ignoram.

Hoje já ouço mais o «boa tarde» de quem entra. Se foi ou não uma ajuda? Não me preocupo com isso, porque limito-me a fazer o meu trabalho com empenho e dedicação, embora não fosse esta a área que escolhi para a minha carreira profissional. Contudo, posso dizer e sem vergonha nenhuma, que gosto do que faço. Sou portanto um previligiado.

Ao longo deste ano e quase meio de blog, muitos foram os comentários que fui recebendo. Uns bons, outros nem tanto. Foram muitos os mails recebidos. Uns para me felicitarem pelo blog, outros de alguém que procurava estabilidade profissional querendo saber como era trabalhar numa empresa como a Carris. Houve até quem pedisse conselhos e aqui só posso falar pelos quase três anos de Carris que tenho. Ainda sou uma criança neste mundo, quando ao lado de outros colegas.

Estes 50.000 clik's dizem-me também que vale a pena continuar a escrever as peripécias do dia-a-dia de quem anda aos comandos dos «amarelos» no coração de Lisboa, comentar e discutir as opiniões contrárias. Resta-me então agradecer a todos os leitores deste blog, colegas e amigos pelas visitas a um espaço que começou numa brincadeira, mas que continuará e sempre que houver, a contar as viagens a bordo de um autocarro ou eléctrico da Carris.
E tudo isto, no dia em que a Carris lançou mais uma informação interna aos tripulantes, inserida nas «Boas Práticas 2009» e intitulada "Conta Certa", fomentando de forma adequada o uso das senhas de demasia, que também servem de troco, quando não há trocos suficientes perante a quantia apresentada pelo passageiro.

A todos, Boas Viagens!

11 comentários:

Vasco Lopes disse...

Valeu a pena, sim senhor.
Parabéns pelo sucesso do blogue e continua com as tuas histórias do dia-a-dia.

Abraço.

Vasco Lopes

Sónia e MI disse...

PARABÉNS primo!!!
Muito sucesso é o que te desejo , e que continues sempre com esta forma de contar e encantar as fantásticas aventuras do teu dia-a-dia!


Beijinhos!

helder reis (semi) 22 disse...

venho aqui todos os dias ver o que há de novo...

Andre Bravo Ferreira disse...

Muito bem Rafael, parabéns pelo blog e que pelo menos venha mais ano e meio de histórias desta vez alternando com o ex-libris da cidade: o eléctrico.

Grande abraço.

Iberista disse...

Parabéns pelo sucesso do blog e pelos resultados da sua leitura. Eu sou um dos que mudou de atitude e que agora, sempre que entro num "amarelo" desejo bom dia, boa tarde ou boa noite a quem me conduz, embora nem sempre seja retribuído nessa saudação.

José disse...

De facto é obra! Os meus parabens. Por motivos profissionais andei afastado da Carris por muitos anos e agora que voltei a utiliza-la, logo na primeira viagem, fiquei surpreendido pela forma como o motorista se relacionava com os passageiros, de tal maneira que me apressei a comunicar o meu agrado pensando que se tratava de um acto isolado. Ao comentar com a minha mulher a minha experiência, ela informou-me que muita coisa tinha mudado na Carris durante o tempo em que não a utilizei. Assim é de facto. Na maioria dos casos e principalmente com os mais motoristas mais jovens, o relacionamento com os passageiros é de louvar. Por isso aqui vai também os meus parabens para os trabalhadores da Carris em geral que, com muita paciência e profissionalismo, nos transportam.

Um passageiro atento e agradecido

P.S. Senhas de demasia? Nesta era da electrónica até já me tinha esquecido da sua existência! O seu reembolso ainda é em Santo Amaro ou pode-se utilizar como meio de pagamento numa nova viagem?

Jacqueline' disse...

Parabéns! Devo dizer-te que olhei com outra cara os condutores da carris depois de ler atentamente os teus posts! Obrigada por partilhares connosco o teu dia-a-dia!

Anónimo disse...

Passo por aqui diariamente à procura de novidades...e que delícia encontrá-las!

O meu bem haja pelo seu blog!

Abraço,
Carla Nunes

Anónimo disse...

Parabéns pelo blog, e pelas análises relatadas do dia-a-dia desta profissão peculiar. Para além de entreter, parece contribuir para modificar algumas mentalidades em relação à vida urbana em geral, mesmo para quem não é motorista. E isso é o mais positivo.

Quanto à senha de demasia e ao custo da tarifa de bordo, a Carris peca por não fomentar a prática de informação ao cliente no sentido de usar só moedas na respectiva aquisição, como por exemplo se verifica nos eléctricos articulados. Não faz sentido e não se justifica para este tipo de serviço fazer troco para notas de 10, 20 e por vezes mais euros, só prejudica a fluidez. Já não bastava os clientes lembrarem-se de procurar pelo passe assim que entram no autocarro ao invés de já estarem preparados para tal enquanto aguardam na paragem.

A Faixa do Bucho

CR 35 disse...

Quando alguém solicita uma tarifa de bordo se olharem para a banqueta está lá AFIXADO O PREÇO e também "sempre que possivel disponibilize a quantia certa" como está na foto ,o que por vezes acontece é que os utentes não têm vontade ou procuram destrocar as notinhas para outros fins e como já presenciei saiem dos cafés ou de outros estabelecimentos com mais facilidade de se deslocarem a bancos ou a outros estabelecimentos com as compras já feitas e entram no autocarro ou eléctrico e pedem uma tarifa de bordo com notas e quando surgem estes casos os trocos já se foram porque basta entrarem 3 com notas para se utilizar as senhas de demasia porque não existe outra forma de solucionar porque quando se pede a colaboração dos utentes para as tentar destrocar dentro dos veículos vem logo ao de cima o português retrógrado "olha agora !eu é que tenho que andar a pedir ás pessoas para trocar!".Rafael as moedinhas de cêntimo teêm um efeito avassalador para os teimosos os espertos e afins se as deres como troco talvez alguns passageiros valorizem o trabalho do motorista.Parabéns pelo teu trabalho "Diário do Tripulante".

Anónimo disse...

ah ah, eu tenho quase sempre o " estojo carregado ", assim q aparecem com notas de vinte pimba toma lá o troco todo em moedinhas que é para a próxima viagem já teres trocado para o colega, já houve quem guardasse logo a notinha assim que pego no estojo e o pouso com força nas pernas
( para se ouvir que está cheio )e reparasse que por acaso até tinha trocado, outros ficam a olhar para as mãos, ( cheias eh eh ), e outros mais corajosos ( ou estupidos ) ainda perguntam se vou dar o troco todo em moedas e eu respondo que tal como a nota de 20 euros que me está a dar para pagar 1,40 as moedas também são dinheiro se não quiser pode deixar ficar, seria bom...

Translate