segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Um homem prevenido vale... um lugar sentado

Quando o telemóvel toca perto da hora de render, só há dois cenários possíveis à partida. Ou o autocarro avariou, ou enganei-me a tirar o serviço. Mas como esta segunda hipótese em grande parte das vezes basta ocorrer uma vez para se abrir bem a pestana, hoje quando o telefone tocou, só pensei que o autocarro deveria ter avariado.

Pois como já aqui foi dito, os carros são como as pessoas e para avariarem, basta estarem bons. O de hoje não avariou, mas furou um pneu. Estava no Areeiro e lá tive de apanhar uma boleia para ir render o colega ao Relógio. Começava assim o dia de trabalho.

Troca de carro feita na estação da Musgueira e o resto do serviço lá se fez com grande normalidade, apesar da forte chuvada que caiu esta tarde em Lisboa. Já na ultima viagem e quando pensava já na hora em que o 17 passava à porta da estação para me trazer para casa, porque hoje não tinha levado o meu carro, eis que surge uma chamada da central. Mau presságio!

«Sr.Motorista, precisava de um grande favor seu. O autocarro da 25 que faz a ultima viagem do Prior Velho, não pega. Não se importa de ir lá fazer a viagem, uma vez que já está a chegar á (22)Portela e ia recolher?....», de imediato vi que o jogo mental que tinha feito com o horário da 17 tinha ido por água abaixo.

“Ok, colega eu vou lá fazer a viagem...”, até porque ainda tinha um 17 depois do que estava previsto apanhar e só depois passaria a ser de 30 em 30 minutos, pelo que como era só uma viagem, a mossa não era muito grande.

Já no regresso a casa e quando vinha à conversa com outro colega, pensando que já ficariam por ali os episódios de hoje, eis que surge alguém no 17 que embora a hora tardia e o pouco movimento de passageiros, estivesse com receio de não ter lugar sentado.

O passageiro lá entrou com a cadeira na mão, provando que quando menos se espera os insólitos aparecem. Hoje foi a cadeira de alguém que não queria viajar de pé e que acabou por gerar alguns sorrisos nos restantes passageiros, mas outrora já foram sanitas, televisões, entre outras coisas mais. Comigo ao volante ainda não me apareceu nada do género, mas já ouvi colegas a contar que até um frigorífico já quiseram transportar na carreira 79, durante uma mudança de alguém que recorreu ao autocarro para se mudar.

Obviamente que tamanho objecto foi recusado, já os outros por vezes torna-se complicado, porque o motorista é de imediato acusado de repressão social entre outras coisas mais. Mas o certo é que um autocarro é um transporte de passageiros e não de mercadorias, embora em algumas situações, alguns passageiros são mesmo a mercadoria mais perigosa, passe a redundância.


Boas Viagens!

8 comentários:

helder reis (semi) da 22 disse...

...e depois é a controvérsia das malas e bagagens, que por causa das reclamações caprichosas de uns pagam os outros que precisam de se deslocar com as bagagens do aeroporto e para o aeroporto, escusado será de dizer que a cada turista com malas que se é negada a entrada no autocarro maior é a possibilidade de aumento do preço de tarifarios, é que o dinheiro não cai do céu...ou então continua-se a pedir mais dinheiro emprestado aos bancos como tem ocorrido ao longo de todos estes anos desde o 25 de Abril...eu cá não cuspo na sopa e deixo entrar os turistas todos para além de serem mais bem-educados, eles pagam bilhete....ah pois é...

Andre Bravo Ferreira disse...

A 79 é uma carreira de insólitos mas um frigorífico!!!! Se calhar só falta levar as almofadas, encostarem-se ao vidro e dormir.

Grande abraço.

Condutor do TXXI disse...

Eu já transportei uma aparelhagem no metro e não me levantaram problemas, mas tambem fiz os possiveis por escondê-la. LOL

Um amigo meu de Benfica comprou uma tv no colombo e levou-a de autocarro para casa, acho que tambem não teve problemas.


PS: Quando falaste em mossa na 25, eu pensei em moça. LOOL

Sónia e MI disse...

lololol
:D

José disse...

Ora aqui está um nicho de mercado que a Carris bem podia aproveitar. "Precisa de transportar um objecto volumoso? Conte connosco! Ligue para o 707xxxxxx e marque o serviço!". E não estou a brincar!

linha disse...

Já tive situações caricatas dentro do meu bus mas ainda ninguem se lembrou dessa do banquinho. O melhor é não divulgar muito porque aqui no Porto eles são meninos para tornar essa situação caricata numa moda.

CR 35 disse...

Rafael, quando existiam os primeiros laranjas ,na paragem de sul e sueste existiam as tendas que hoje estão na praça de espanha
e recordo-me que o autocarro da frente salvo erro da 39 ou 59 demorou mais tempo a sair sabes porquê? porque estava a carregar alguns intrumentos de uma banda de música tipo jazz e como não couberam todos nesse autocarro porque já ia cheio sobrou para mim o contrabaixo e uma parte da bateria como também uma guitarra porque os MAN tinham um pouco mais de espaço que os VOLVO assim se chegou a Santa Apolónia porque nessa altura não havia proibições como agora, podiam transportar todo o tipo de mercadoria e ninguém reclamava porque algumas vozes levantavam logo a questão"...vai apertado(a) vá de táxi que assim vai mais á larga..."Boas viagens.

Anónimo disse...

Um domingo qualquer se puderem, apanhem o "comboio-famtasma" (vulgo 750), na paragem da feira do relógio, sentido Est. Oriente - Algés. É olhares pelo retrovisor direito e depois pelo retrovisor interior e começar a rir! Eles são trolleys, colchões, cadeiras, móveis, galinhas (vivas), isto só para citar alguns. E só não entram pelas janelas porque são estreitas e ficam fora do alcance.

A Faixa do Bucho.

Translate