domingo, 1 de novembro de 2009

Dia de todos os Santos na 727 para fugir á regra...

E lá terminou hoje mais uma semana de trabalho com um dia diferente do habitual, para fugir à regra. Feriado Nacional assinalando-se o dia de Todos os Santos, dia em que milhares de pessoas ganham forças para se deslocarem aos cemitérios, para compor as campas e jazigos para que no dia seguinte, o de finados, tudo esteja impecável. Tendo em conta a procura redobrada, a Carris coloca habitualmente neste dia o reforço de serviço em determinadas carreiras, sobretudo nas que servem os principais cemitérios da cidade.

Se no ano passado tinha estado na carreira 742 a passar no cemitério do Alto de São João, já este ano "quebrei as regras" e estive de serviço no reforço a uma carreira de Miraflores, a 727 tendo feito viagens entre o Marquês de Pombal e o Cemitério da Ajuda. A manhã previa um dia bastante agitado com a azáfama de quem queria ter a banca das flores mais apetrechada e arranjada, ou quem queria ter mais velas para poder apregoar até ao fecho das portas do cemitério. Chego à Ajuda e aos poucos iam chegando carros particulares com idosos que faziam mais um esforço para prestar mais uma homenagem aos seus ente-queridos.

Outros, optavam então pelos autocarros e cada degrau que subiam era mais uma barreira passada nesta "maratona cemiterial" onde a meta é mesmo a porta do cemitério, mas não sem antes passar pela banca das flores, provando assim que este dia não passa de um dia para o negócio, ou será que só neste dia se lembram daqueles que já partiram?!

Mas não me compete a mim julgar, mas sim transportar! No meio da romaria, muitos turistas até porque a 727 é uma carreira também ela virada para o turismo pelo facto de servir Belém e São Bento. «Isto hoje vai muito cheio senhor motorista. Que se passa?», perguntava uma senhora que tinha entrado em frente à estação de Santo Amaro. "Andam por ai muitos turistas a ver o que temos de bonito na cidade e também é dia de outros irem aos cemitérios, sabe...", disse-lhe. E dai ate ter uma resposta foram segundos. «É tudo negócio sabe. Por isso é que quando eu morrer quero ser queimada para não gastarem dinheiro em flores que murcham num instante e não nos trazem de novo à vida. Mas também já deixei escrito e pode não acreditar, mas as cinzas até quero que as ponham no lixo. Antes isso que deitá-las ao mar, que ainda envenenavam os peixes...», dizia a senhora já em tom de brincadeira. 
O dia foi portanto diferente do habitual e numa carreira diferente do habitual, diga-se que é uma carreira de luxo e das que se fazem bastante bem.
Para a semana há mais! Boas viagens

4 comentários:

Sónia e MI disse...

Uma óptima semana para ti,primo!

beijinhos.

MAJ disse...

Bom dia

Excelente o seu blog.Parabéns!

Tem muito interesse e é do melhor que tenho visto e lido.
Continue.
Pois vou continuar a seguir o seu trabalho.

Cumprimentos

Andre Bravo Ferreira disse...

Vá lá, essa senhora ainda disse "queimada" e não "cromada" como por vezes se ouve.

Grande abraço.

José disse...

Graças ao 28 descobri o seu blog e que vou explorar e divulgar. Desde sempre que sou um apaixonado de viagens em autocarros urbanos e por isso dou-lhe os meus parabens pela sua ideia e faço votos que continue a levar os romeiros dos nossos cemitérios por muitos e bons anos.

Translate