sábado, 10 de outubro de 2009

Quando as "Madames" decidem deixar o carro de qualquer maneira...

Hoje não vos trago nenhuma história do meu dia de trabalho, até porque foi bastante calmo na carreira 718. Da parte da tarde e depois de tratar de umas coisas ali para os lados da Graça, decidi dar uma volta na 28E para ver como estava de afluência e como outra coisa não seria de esperar, os eléctricos andavam a "transbordar", a "rebentar pelas costuras", tipo "sardinha em lata" e tudo o que se possa imaginar. Arriscaria mesmo a dizer que estaria pior que um dia quente de verão, com imensos turistas que optaram por tirar férias em Outubro.

E se os eléctricos quando estão cheios já demoram mais a circular, porque há sempre alguém que vai saindo e entrando, pior ainda é quando as "madames" decidem parar os seus carros, como que a rua fosse toda delas e que quem viesse atrás que tivesse passado antes ou que espere. Não é novidade nenhuma para os colegas guarda-freios que passam por estas situações todos os dias e a toda a hora. Contudo, hoje a "madame" que estacionou o carro (na foto, 57-51-IC) na Rua das Escolas Gerais, na esquina com a Calçadinha do Tijolo, além de ter estorvado quem por ali se deslocava de transportes públicos, acabou por dar trabalho redobrado aos guarda-freios porque o tempo do semáforo que permite a passagem alternada, em via única, dos eléctricos, permitiu que os eléctricos do sentido oposto descessem.

Resultado: Aquela interrupção foi o ponto de encontro dos que subiam com os que desciam. Já com a "madame" a presenciar todo o aparato com o carro colocado na Calçadinha do Tijolo que era o que deveria ter feito logo de início. Quem ficou contente por todo o aparato foram os turistas que não se cansaram de tirar fotografias ás manobras dos 7 eléctricos que se foram juntado. Eu também quis tirar umas para agora partilhar convosco...
Já depois da manobra feita, a viagem lá prosseguiu até ao M.Moniz sempre com o eléctrico cheio até á porta e com um misto de italiano, espanhol, inglês, francês, alemão e claro o português, e todos com uma vontade enorme de andarem de eléctrico, ainda que a viagem já tivesse chegado ao fim. É nesta altura que o(a) guarda-freio diz que terminou a viagem e eles permanecem todos como se lhes tivessem dito que acabou mas há mais e podem ficar...
Boas Viagens!


16 comentários:

Andre Bravo Ferreira disse...

É mesmo à Portuga! Não podem andar 3 metros a pé que ficam cansados, se calhar ainda devo dito ou pensado que a culpa era dos eléctricos que não tinham nada de passar por ali...

Grande abraço.

Anónimo disse...

se soubesse que não andavas na 35 tinha trocado contigo, também era madrugada, fica para a próxima :-)
marques

Vasco Lopes disse...

Pois, também andei pela 28E e de facto a confusão estava instalada.
Interrupções não apanhei hoje, mas apanhei turistas a mais e um grupo de espanhóis que pareciam autênticas galinhas numa capoeira.
Enfim, a 28 no seu melhor!

Abraço.

Vasco Lopes

equipier disse...

Ainda bem k tive de folga lolol
Segunda Feira la estarei na 28E num belo dum serao para ser mais calminho o regresso ao trabalho
Abraço

Anónimo disse...

Gosto e leio diariamente o seu blogue, nao conheço a senhora da viatura , no entanto gostaria de o avisar que publicar fotografias com a matricula do carro pode lhe trazer graves problemas juridicos.

Vasco Lopes disse...

Anónimo das 11:01,

Isso agora é que eu tenho as minhas dúvidas. É que no Direito, nem sempre 2 + 2 são 4. E esta questão das fotos às matrículas está longe de ser consensual e de ter solução expressa na lei. Não há qualquer norma legal que o proíba. Não me vou adiantar muito mais, mas a simples publicação de fotos com matrículas, sem alegar uma lesão concreta (e essa lesão não é fácil de provar), não é proíbida.

CR 35 disse...

Senhor Anónimo é pena não ter a foto também publicada da senhora assim ficamos com a matrícula para que possamos reclamar (quem não tem outro meio de deslocação e trabalhe ou more em áreas de pouco acesso) ás autoridades via correio elétronico porque só a cor não chega e o modelo do veículo também não e não é por isso que se viola qualquer intimidade de quem seja senão o que dizer das câmaras do metro ,das avenidas,dos autocarros, dos edifícios públicos ,etc.
Se consultar qualquer jornal diário verifica muitas fotos de veículos com as matrículas bem visiveis.

Condutor do TXXI disse...

...até porque se o carro estava na via publica qualquer um o pode ver. Quem estivesse no local verificaria a matricula. Eu quando ando na rua sou visto por muita gente, será que a minha imagem fica posta em causa? Poderei processar quem me vê? =D

Busorganist disse...

Se eu como Spotter fotografar o Marquês de Pombal, decerto que aparecem dezenas de matrículas de carros.. Eu por acaso tapo as matrículas, mas apenas por uma questão de respeito.. Problemas legais... Duvido que os haja, estão na rua e não são o objecto da fotografia.. O Rafael, para mim, fotografou os electricos e a situação dos eléctricos.. Apareceu o carro da madame? Temos pena, não o tivesse deixado ali..

Saudações

Anónimo disse...

1º - A via é pública, o espaço é público, qualquer um pode tirar as fotos que quiser, ao que quiser. 2º - Quem não deve não teme! 3º - Se a "madame" sentir "violação da privacidade", pode pedir ao Rafael para omitir a matrícula, mas a foto nunca pode ser eliminada. 4º - O Rafael está a contribuir no que pode para um mundo melhor, divulgando situações de falta de respeito para com os outros como neste caso, colocando o dedo na ferida. É que os autocarros e os eléctricos são grandes, mas há muitas "alminhas" que nas vias públicas conseguem ter o UMBIGO ainda maior.

Eis o meu lema na condução: "Se não queres ser incomodado, não incomodes os outros."

Bravo Rafael Santos!

Rafael Santos disse...

Bem acho que chegou a altura de eu próprio dizer algo. O objecto principal da fotografia não é a viatura em questão, que por si só também está na via pública exposta a tudo e todos.

A foto refere-se a uma interrupção, que por si só, foi causada, nem mais nem menos pelo automóvel que também aparece na fotografia.

Se a pessoa em questão, não tivesse ali deixado o carro não teria sido fotografada nem tão pouco tinha proferido o comentário que proferiu quando ali chegou e viu o aparato: «é por causa do meu carro?»

Poupem-me!!!

miguel disse...

Ainda há quem ache que as multas de estacionamento são caras.
A quantidade de pessoas que são afectadas por estes comportamentos, bem mereciam que houvesse uma punição digna desse nome.

Condutor do TXXI disse...

O problema é que por vezes multam carros que não incomodam ninguem, e as situações verdadeiramente graves como esta, nenhum policia lá vai! Ali não era multa, era logo reboque, e ela que vá buscar o carro á Musgueira (penso que ainda lá seja o parque).

Anónimo disse...

Impressionante como uma única pessoa prejudica tanta gente e fica impune! (e o pior, não aprende).

GPAIS

Anónimo disse...

Em primeiro lugar tem toda a razão no post. Mas:

Há uma pequena-grande diferença entre ter fotos e videos de pessoas desconhecidas no seu album/arquivo em sua casa, e publicar as mesmas fotos e videos num jornal, site, revista de acesso geral.

Tanto é "conversa da treta", que o Google se dá ao trabalho de desfocar as caras e matrículas. Ainda que não seja para evitar queixas judiciais, há a pequena-grande questão de respeitar as pessoas.

Conhecer a morada do proprietário, quanto ele ganha por mês e saber onde mora, não será por si só determinante para roubar um veículo,

O maior problema, e é de actualidade, é a usurpação de matriculas, para utilização em scuts e vias verdes, aí é que os forums/blogs são uma base de dados para estes oportunistas.

Basta identificar um veículo igual, cor e aspecto, copiar a matricula, e podem crer que o legitimo proprietário estará em maus lençóis para provar que não é ele que passará nas scuts.
Pelo que é uma boa pratica tapar as matriculas

Rafael Santos disse...

Caro Anónimo,

Concordo com o que disse, pois por lapso esta foto não foi editada com vista ao desfoque da matricula.

Cumprimentos,

Rafael Santos

Translate