terça-feira, 13 de outubro de 2009

«Lisboa vista à lupa de autocarro» na SIC

Muitas das histórias que por vezes aqui são contadas, custam a acreditar mas outras há que já foram vistas e revistas várias vezes. Há coisas boas e coisas más, como em tudo na vida, e se um dia o serviço não corre como desejamos, noutro já corre melhor do que se previa. Uns passageiros são mais simpáticos que outros e também eles dizem que o mesmo se passa com os motoristas. Uns são da ocasião, outros são clientes fixos de determinadas carreiras, nem que seja apenas por distracção ou passeio.

O leitor deste blog, recordar-se-á certamente do «papa-bolos» da 79 como é apelidado por lá, entre outros. Contudo há também os que são frequentes por se deslocarem para o trabalho e acontece em muitos dos casos, sobretudo nos serviços de meios-dias e médias, transportar-mos um passageiro de manhã para o seu local de trabalho e transportá-lo ao fim do dia, de volta a casa.

Contudo são os motoristas e/ou guarda-freios efectivos que acabam por ir conhecendo mais estes passageiros, tornando-se mesmo numa rotina. Mas depois de algum tempo são também os supras que chegam a reconhecer determinada cara por ser frequente transportá-la, ou por determinada história e/ou situação.

Há carreiras que se distinguem pelas pessoas que por lá se transportam, já o aqui disse várias vezes e este é um dos factores que nos leva a gostar mais de uma carreira que outra, embora tenha que se fazer o serviço na mesma. Há portanto vários cenários durante uma semana e em várias carreiras. No passado dia 9 de Outubro, o "Jornal da Noite" da SIC, emitiu uma reportagem sobre isso mesmo.

Em duas viagens de autocarro, conseguiu a estação de Carnaxide encontrar duas Lisboas em ângulos opostos. Entre a carreira 28 e a 759 há claras diferenças e as duas são um bom exemplo dos muitos que por vezes originam as histórias deste blog. Mas como as imagens valem sempre mais que mil palavras, aqui vos deixo o link para a reportagem que passou na 2.ª parte do Jornal da Noite deste dia 9 de Outubro, bastando para tal ver entre o minuto "18m30s" e o minuto "24m15s".

É «a Lisboa do 759 dos reformados e da classe média e média/baixa, dos bairros sociais e o 28 da Lisboa turística e de todos aqueles que têem emprego certo e futuro definido», numa reportagem de Pedro Coelho, Luis Pinto e João Santos a bordo dos autocarros da Carris.

Imagens: SIConline

8 comentários:

Iberista disse...

Eu acrescento para o 759: a Lisboa que sempre me fez fugir desta carreira e da sua antecessora, 59!
Podem-me chamar nomes depois deste desabafo! :D

miguel disse...

a reportagem está aqui em separado (não é preciso andar "à procura"):

http://www.parlamentoglobal.pt/parlamentoglobal/multimedia/video/2009/10/9/091009+lx+vista+a+lupa+jn.htm

Abs

Anónimo disse...

"... anda, anda, na boa tá-se bem..."

( vamos entrar noutro que não tenha inspector, os otários é que pagam titulo de transporte ).

até metem nojo...

Vasco Lopes disse...

De facto a carreira 759 tem muito pouco ou mesmo nada de interessante.
Quanto à reportagem 759 vs 28, foi bem conseguida, embora se o objectivo era fazer ressaltar as diferenças entre as duas Lisboas, acho que essas diferenças seriam ainda mais chocantes, por exemplo, com a 106, 108 ou 777, por um lado, e 22, 723 ou 738, por outro lado.

Anónimo disse...

como é que iam fazer a reportagem á 106 ou 108? como?
1º arriscavam-se a ficar sem camara e o resto do material por andar naquelas zonas.

2º como a carris obviamente estaría informada iría enviar um inspector para acompanhar o autocarro tal como fez com a reportagem que vimos, e então corria tudo bem e o inspector tinha sorte e o autocarro ia vazio porque nesta carreira mais de 85% não tem titulo de transporte, e assim não víamos as diferenças sociais, ou então corria mal e o inspector ou o motorista não acabariam o dia sem uma chinada, ou com uma entrada de rompante de um pombo sem asas por uma das janelas do autocarro.

Anónimo disse...

os portugueses costumam dizer que só quem não andou de transportes publicos lá fora é que não se apercebe que a carris assemelha-se a carroças transportando animais, pois bem, pelos comentários do casal estrangeiro que se encontrava no autocarro nota-se que os portugueses são muito viajados e costumam andar nos transportes publicos quando viajam para fora, ou isso ou então o que eles gostavam é que a carris se assemelha-se mesmo a transporte de gado.

Condutor do TXXI disse...

Basta andarem na 28 à noite que o caso muda de figura, é só a 210 antecipada!
Há uns meses houve agressão a um motorista nesta carreira, na Matinha.

Anónimo disse...

Eu só digo isto...

Nas carreiras NightBus ninguém paga bilhete, mas quem entra tem dinheiro para os copos e se quiser vomitar o autocarro, urinar e cumprimentar o "urso" que vai ao volante com uma "bofetada" está à vontade!

Nas carreiras regulares quem trabalha tem que pagar o transporte!

A Carris serve para transporte público e também social. Vai a todas.

Como a Carris é a única empresa de transportes colectivos a operar 24h por dia... a quem é que a altas horas da noite vão os desordeiros bater à porta? ...sim, ao Ambrósio que vai ao volante.

Translate