quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Extraordinário!... na 738

Extraordinário o serviço que fiz esta manha... Extraordinário o desrespeito pelos outros utentes da via... E o melhor, é mesmo ficar por aqui no que ao de extraordinário vi esta manhã. Que ninguém respeita os transportes públicos eu já sabia, mas como andei em zonas onde nunca antes tinha andado com um autocarro, acho que tem interesse destacar o serviço que fiz esta manhã em dobra com um «extraordinário 405» na carreira 738 entre o M.Pombal e o Alto de Santo Amaro.

Na primeira viagem e ao receber os primeiros passageiros logo me lembrei da recente reportagem da SIC, já aqui referida, com uma comparação dos estatutos sociais que se podem ver a bordo de diferentes carreiras. Sendo esta carreira, uma das que serve as zonas envolventes à Lapa, C. Ourique e Alto de Santo Amaro, poderia haver uma pouco mais de respeito e simpatia e isto, claro está, tendo em conta a teoria porque na prática é tudo diferente.
O reforço da carreira está lá sobretudo por causa das escolas e de facto o autocarro enche só com a miudagem daqueles que se dizem os "senhores de bem" e que gostam de tratar tudo e todos por «você, sei lá!». nada tenho contra estes senhores, mas estas crianças que andam em escolas onde se paga o dobro de uma outra qualquer e que aparecem nos rankings das melhores escolas, deveriam ter certamente melhor educação e saberem comportar-se dentro de um transporte que não é pessoal, mas sim público.

Para começar e logo pela fresquinha, uma jovem entra na Rua Braancamp e pede um bilhete. Enquanto o bilhete sai da máquina, (erro meu, que já deveria ter aprendido que o bilhete só sai depois da quantia apresentada...) a rapariga começa numa luta com a sua mala em busca de 10 cêntimos que faltavam para perfazer o 1.40 €. Aguardo a sua reacção até porque os 10 cêntimos tardavam em aparecer e de repente começa a transpirar com um ar aflito de quem iria já chegar atrasada ás aulas, caso não se transportasse naquele autocarro.

Perguntei-lhe para onde ia (algo que já calculava...) ao que me respondeu que «vou para a escola e já um pouco atrasada, mas faltam-me 10 cêntimos!». Então mas "não sabia que ia para a escola de autocarro e que não tendo titulo de transporte teria de o comprar e que o mesmo custaria 1.40€?", perguntei eu só mesmo para ver a reacção da jovem e não por faltarem os 10 cêntimos.

«Pois tem toda a razão, mas não se importa que lhe fique a dever os 10 cêntimos, por favor... É que ainda por cima vou ter um teste». Quase que vertia a lágrima e antes que lhe desse um treco lá lhe dei o bilhete e disse que para a próxima paga 20 cêntimos dos juros. Foi como que se lhe tivesse tirado um peso de cima das costas, mas não deixei de avisar que tem de ser mais responsável e preparar as viagens antes de sair de casa. O meu consciente decidiu assim!

Quando saiu já perto da escola, teve a atenção em vir á porta da frente agradecer e desatar a correr para o interior da escola. Na viagem de regresso foi um «avé-Maria» para fazer a Rua dos Lusíadas e tudo, claro está, uma vez mais pelos carros que param a qualquer momento e em qualquer lugar para deixar as crianças que não podem andar uns metros para a escola. Toca de parar o trânsito que o porteiro até ajuda e o tempo foi tanto que até me juntei ao extraordinário da frente como se vê na imagem. Repare-se também que havia espaço para o senhor em questão colocar a sua viatura à direita, permitindo assim a passagem dos autocarros, mas para quê tanto trabalho se basta parar e abrir portas?...
É caso para se dizer que para se ter educação, não é preciso ter nenhum estatuto e para se ser respeitado, basta dar-se primeiro ao respeito. É tudo uma questão de ética e bom senso que já vai faltando cada vez mais nesta cidade e noutras, ainda assim gostei do serviço, até porque foi o meu primeiro serviço extraordinário em quase três anos de Carris.
Á tarde há mais, mas por outras freguesias e outras classes sociais... Haver vamos como corre!
Boas Viagens!






14 comentários:

Lpds25 disse...

uma carreira que apanho todos os dias de manhã (mas não os extras pois vou para bem mais longe que o marquês).
de facto a rua dos lusiadas é de mais no que aos carros diz respeito. é essa e mais à frente na Alvares Cabral (onde está aquela passadeira tipo "rampa de lançamento". de manhã demoro sempre um bocado grande para passar aí. mas que devia havero respeito que falas, n tenho dúvidas... enfim, no dia em que os autocarros forem todos a gàs para escapar ao preço exorbitante do gasóleo e a gasolina custar 100€ por litro (exagero, claro) talvez a realidade seja outra

miguel disse...

"Os autocarros não funcionam por culpa dos carros

No relatório de 2008 da Carris lê-se que a velocidade média dos transportes da Carris nos últimos cinco anos oscilou entre os 14,30 e os 14,54km/h. Uma velocidade ridícula. Alerta ainda que que este valor é especialmente alto dada o grande número de carreiras nocturnas, onde a velocidade é muito maior.

E porquê? Porque de noite não há trânsito causado por quem anda de carro. Não faz sentido exigir um bom serviço de autocarros antes de introduzir restrições aos automóveis, porque são os automóveis que causam o mau serviço."

http://menos1carro.blogs.sapo.pt/165926.html

Bruno Pedroso disse...

Acho que as classes sociais é relativo... na Ajuda temos bairros sociais, aliás, é um barro todo ele típico de Lisboa, acho que ha uma mistura, tirando o Restelo de baixo que aí sim, quando ao Restelo de Cima existe o bairro económico... por isso acho que apesar de a reportagem ter alguma razão nem tudo é um "mar de rosas".

Anónimo disse...

este tipo de situações, que se verificam um pouco por toda a lisboa são também casos de policia. Pergunta: não podem os condutores alertar a central e pedir atenção da policia de transito nestas situações? enquanto não de mostrar desagrado não vai haver alterações de mentalidade...

Anónimo disse...

Não há respeito, não há policiamento, não há parquamento, não há ordem! E por enquanto não chove... porque quando chover... é o caos. A Câmara não se preocupa, a Polícia não quer saber, aos utentes da via pública estão-se nas lonas, e tu Sr. Motorista é que tens de carregar a cruz às costas, tu é que tens de fazer milagres, tu é que és o principal culpado de não satisfazeres os requintes dos clientes do teu autocarro, tu é que tens de estender a passadeira vermelha na via pública para os outros condutores estarem a ler o jornal, para levar os bijús à escolinha, para irem ao café tomar o pequeno-almoço, para esperarem pela esposa que está nas compras, etc. Respeito? Só se for do foro umbilical. Tens que ser tu o mágico, tens que ser o motorista, o polícia, o enfermeiro, o psicólogo, o posto de informação, etc.

A Liberdade acima de tudo! Mas... primeiro a deles, e quem vier atrás se quiser, que feche a porta.

Vasco Lopes disse...

Ah pois é, amigo Rafael... eu bem te avisei acerca da educação dos papás que vão levar os meninos à escolinha por essas bandas. Mas ao menos variaste e ainda bem que gostaste.

Um abraço.

Vasco Lopes

Anónimo disse...

mas como é que fazes extraodinários em carreiras de outras estações pá? podes explicar? :-)

Rafael Santos disse...

Tentando responder a todos e rápidamente, nestas situações podemos e normalmente fazemos o seguinte: Avisamos a Central de Comando de Tráfego e alertamos para o que se passa a fim de enviarem o Smart da vigilância corredor BUS ao local.

Contudo acontece que muitas das vezes quando este chega ao local porque também ele anda no meio do trânsito já a situaçãoe stá diferente.

Quanto à questão do extraordinário ser de uma carreira de outra estação, acontece que ha actualmente dois desta carreira na Musgueira e dois na Pontinha pelo que são 4 os extraordinários da 738....

Anónimo disse...

http://transportesemrevista.blogspot.com/2009/08/transmilenio-recebeu-autocarros-bi.html

um deste é que era fixe aqui em lisboa e na carreira 35 eh eh, e devia ser utilizado sempre sem rampas proprias para os passageiros entrarem, já viram a altura das portas ao solo? espectaculo.

Condutor do TXXI disse...

Nas Amoreiras no Liceu francês é precisamente a mesma coisa com os carros dos paisinhos. Esses ás vezes até contratam um policia para proteger as criancinhas à porta da escola, mas o policia nada diz aos pais que param os carros à porta.
Já se sabe, se o policia os adverte, a seguir fazem queixa do policia e como quem faz a queixa tem o status que tem, o policia ainda apanha um processo ou é mudado de posto para um pior!!! Portugal é assim o que se há de fazer!

Uma vez vi uma senhora conhecida da tv, possivelmente a conduzir bebada na noite lisboeta tal era a quantidade de infrações e a dificuldade que tinha a tirar o carro do sitio onde estava estacionado. Conversa dos policias: aponta a matricula e avisa via radio para ninguem a parar nem autuar.
Eu oiço aquilo e questionei-me se fosse um vulgar cidadão a atitude era a mesma? Resposta: Claro que não, quem parar, fiscalizar ou autuar aquela pessoa certamente vai ter problemas na PSP enquanto que um vulgar cidadão não causa problemas à policia.

Ricardo disse...

Essa rua dos lusíadas é sempre a mesma coisa trabalho lá e verifico todos os dias a confusão que há. É raro o dia em que os autocarros não têm que ir pela rua luís de Camões abaixo porque esta uma chapa bloqueada.
Antes quando o 22 e depois o 20 ainda iam ao alto de sto amaro lembro -me que esse colégio tinha camionetas para levar os meninos a casa e paravam todas no meio da rua onde só ficava uma faixa para cada lado, quando os autocarros se cruzavam-se eram uma confusão tremenda nem andavam para cima nem para baixo.
Neste momento o colégio não tem camionetas, mas tem os carros das mãezinhas que param no meio da rua em frente a escola para deixar os seus meninos e não interessa quem esta a trás o que interessa é parar em frente a porta do colégio, e se apitares o porteiro ainda te responde mal, esse que esta na foto tem a mania que a rua é dele e os carros podem parar no meio da rua e ele abrir a porta e os meninos saírem.
Mas essa rua tem vários acontecimentos de manha e ao fim da tarde é o colégio e a hora de almoço e jantar tem o restaurante “solar Nunes” para gente graúda como ministros, apresentadores de Tv. etc.Que também pensam que a rua é toda deles os senhores chegam param o carro a porta do restaurante e o motorista é que vai arrumar o carro chega alturas em que a paragem do 738 não se vê com tantos carros em segunda fila se for preciso.
Muito raramente lá se vê Smart da vigilância mas como é raro aparecerem fazem o que o que querem e os autocarros é que ficam bloqueados mas isso para essa gente vip não interessa.
Para eles autocarros é para pobres e os pobres podem esperar lol

Filipe disse...

Rafel a carris esta neste momento a funcionar com muitos extraordinários na hora de ponta da manha em algumas carreiras como a 28,738,758 á mais algumas? Mas porquê que estes carros não aparecem nos horários das respectivas carreiras .

Rafael Santos disse...

Ricardo, disse tudo e de forma clara!

Filipe, porque como o próprio nome indica é um extraordinário que a qualquer momento pode ser retirado de serviço, se assim o justificar...

Anónimo disse...

E não esquecer que nessa rua temos de juntar as descargas do carro do supermercado, que por si só ocupa um sentido de trânsito! E porquê? Porque o estacionamento reservado ao mesmo encontra-se "ocupado" por outras viaturas de certeza com maiores urgências!

Senhores, o posto de Polícia encontra-se a uns 400mts, a Junta de Freguesia a uns 200mts, a estação da Carris Stº Amaro a uns 300mts... Todos os dias é sempre a mesma coisa e todos já conhecemos o problema! Agora escusam é de esmiuçar o motorista. Ainda não vi um que conseguisse encolher o autocarro!

E muitas vezes quando aparece um agente, este ainda nos pergunta se não conseguimos passar? Como quem diz, "Tu é que és o profissional do volante e 'tás-me a incomodar também?"

Sem comentários...

Translate