sexta-feira, 18 de setembro de 2009

18 de Setembro de 1872: 137 ANOS

A Carris completa hoje 137 anos de existência. Fundada no Brasil em 1872, a Carris inaugurou o seu serviço na capital portuguesa a 17 de Novembro de 1873, com a primeira linha de «Americanos» com carros puxados por animais, no troço Santa Apolónia - Santos. A 31 de Agosto de 1901 inaugurava o serviço de carros eléctricos com a sua primeira linha, muito semelhante á actual carreira 15, que circulava entre o Cais do Sodré e Ribamar (Algés).

Nos anos seguintes a rede aérea foi crescendo e a introdução dos carris pelas ruas da capital, tornou possível o aparecimento de novas carreiras, com «com carros inicialmente adquiridos nos Estados Unidos e, a partir de 1924, construídos nas oficinas da Empresa». Em 1940 chegaram á empresa os primeiros autocarros, sendo que o seu serviço foi oficialmente inaugurado a 9 de Abril de 1944.
Desde então a aposta passou a ser feita no autocarro, tendo sido necessária a criação em 1958 da estação de Cabo Ruivo já depois da existência da estação das Amoreiras, preparada para receber eléctricos e autocarros. Esta estação viria a ser desactivada em 1981, ficando a Carris com a estação de Santo Amaro, A.Cego, Pontinha - então criada em 1975, Musgueira - inaugurada em 1981 e a de Miraflores que surgiu em 1983.
«Nos anos 90, para além da entrada ao serviço de novos autocarros (médios, articulados e "minis"), assistiu-se a um interesse renovado pelo modo eléctrico traduzido na aquisição de 10 eléctricos articulados, nos quais, à tecnologia de ponta e elevados níveis de conforto se alia uma grande capacidade de transporte e na renovação de 45 eléctricos tradicionais que, numa feliz união, conjugam o respeito pela traça original com os mais modernos equipamentos electromecânicos».

Nos últimos anos a Carris tem apostado na renovação da sua frota, e em 2006 conseguiu tornar-se numa empresa Certificada e depois de ter também certificado algumas carreiras, prossegue com os mesmos objectivos e com a renovação da sua frota.

Hoje completa 137 anos de existência, por isso está de parabéns!

Boas Viagens!
Foto: Galeria de Biblioteca de Arte / Fundação calouste Glubenkian

7 comentários:

Andre Bravo Ferreira disse...

Parabéns à Carris por mais um aniversário e a ti também Rafael, que fazes parte dessa equipa.

Grande abraço.

Bruno Pedroso disse...

Acho que a Carris só se voltou a interessar em 1995 pelos eléctricos e ficou por ali...

1 ano depois tínhamos a 24 e 25 suspensa, e dois anos depois acabou com a 17. Em 1999/2000 houve ameaça de acabar com a 18.

Só mesmo autocarros é que se tem interessado... infelizmente.

Andre Bravo Ferreira disse...

Devemos ser dos poucos que gostava que a rede de eléctricos voltasse a ser expandida Bruno. Realmente é pena e se assim acontecesse podia ser que não houvesse estacionamento abusivo e em 2ª fila. Conheço sítios onde acabava logo!

Grande abraço.

Luis disse...

Parabéns a carris pelos 137 anos e a todos que nela trabalham dando o melhor para que nós nos
deslocamo-nos mais rapidamente. Bruno acho que temos uma pequena esperança relativa a carreira 24 electricos foi ao site cml e reparei no que paço a citar relativo a linha rato camões
"os carris de eléctrico existentes no interior da placa central manter-se-ão integrados no pavimento pedonal, estando prevista pela Carris a activação da linha entre o Largo do Rato e a Praça Luís de Camões"
2009-08-03.
Vamos acreditar nisto, era bom recordar os electricos na R. São Pedro de Alcântara.

Bruno Pedroso disse...

Largo do Rato Só??? Então e Campolide? =/

Luis disse...

Pois devia ser entre campolide e cais sodré ajudando a sobecarregada 758 mas se activarem entre Largo do Rato e a Praça Luís de Camões ja era bom mas não tenho grande esperança.
No sei se o Rafael sabe de alguma coisa?

Rafael Santos disse...

Caro Luis,

Quanto á sua questão, sei apenas que o percurso L.Camões-Campolide tem rede aérea e carris prontos em grande parte do seu percurso e que não há eléctricos suficientes para que a carreira seja aberta.

Recentemente vi algures na imprensa que não está prevista a sua reabertura e com muita pena minha...

Lisboa só tinha a ganhar.

Translate