sexta-feira, 7 de agosto de 2009

742 Casalinho da Ajuda: Que interessante!! (??)

Pode parecer mentira, mas não é! Voltou o trabalho e com ele voltaram as histórias, e confesso que até já estava a achar muito estranho tamanha acalmia. A 742 é rica em histórias e hoje até tive direito a "viajar" até Moçambique, e engana-se quem pensa que o tema foram os eléctricos (embora eu seja um seguidor nato deste meio de transporte), até porque na antiga colónia portuguesa em África, os eléctricos circularam entre 1904 e 1936 e eram então chamados de Xiguruguru.

Mas a minha "viagem" até a Moçambique, foi feita num abrir e fechar de olhos, enquanto terminava mais uma viagem na 742, no terminal do Casalinho da Ajuda, quando a passageira que ocupava o primeiro lugar junto à porta da frente me questionou se era ali o terminal da carreira. Pensei por instantes que se tinha enganado no autocarro, mas não...

«Sabe, nunca aqui tinha vindo», dizia-me, enquanto lhe informava que "aqui é o Casalinho da Ajuda. A senhora está perdida ou enganou-se no autocarro?".... «Não! Vim apenas dar uma volta e conhecer este terminal que ainda não conhecia e é muito interessante esta zona aqui...» Surpreendido com tamanha afirmação, decidi questionar: "Desculpe, disse interessante? É que para mim de interessante não tem mesmo nada... Há zonas bem mais bonitas e bem mais agradáveis..." e admirada com a minha afirmação responde: «Não me diga! Então com esta vista fantástica sobre o Tejo... Sabe, sempre gostei do mar, nasci e vivi muitos anos em Moçambique e tinha casa junto á praia e era uma maravilha!»

Pois estava lançado o mote para uma "viagem" no tempo e a senhora galvanizava-se cada vez mais para contar a história da sua vida. Já me tinha dito que estava só e que o único vicio que alimentava todos os meses, era o passe da Carris, porque lhe permitia fazer algo que adora - Passear. Sai todos os dias para andar de autocarro ou eléctrico e hoje tinha decidido ir até à Ajuda. Em minutos disse-me que por ali haviam muitos ciganos, mas que contra eles nada tinha e que eram um povo que tinham tido origem na Índia, e por instantes já eu me lembrava das aulas de história e geografia do meu secundário.

História à parte, e com o Tejo à vista, já a senhora fazia questão de me dizer que nadava muito bem e que tinha feito parte de uma equipa com a sua irmã. Uma era especialista em Bruços outra em Costas... «velhos tempos esses em que mal víamos a água era vestir o fato de banho e pimba!» E entretanto já estava na hora de partir rumo ao Bairro Madre Deus. «Já vai arrancar? Coitados vocês nem tempo têm para descansar. Eu admiro muito o vosso trabalho. Vocês têm de aguentar muita coisa que eu não era capaz...», pois "mas é uma questão de hábito, sabe?!" ... «Sim mas vocês aturam o público, é o trânsito e por vezes chegam atrasados porque há acidentes ou problemas nas ruas e ninguém compreende. É uma pena.»

Pois tem toda a razão, mas infelizmente nem toda a gente pensa como esta senhora que acabou por ficar no Alto de Santo Amaro, não sem antes desejar-me muitas felicidades e muita sorte, etc... ah e agradecer a atenção disponibilizada, «sabe estava mesmo a precisar de falar um pouco porque vivo sozinha...», e lá seguiu rumo ao café para usufruir de mais uma pausa nos seus 70/80 anos de vida.

No final ainda fiquei com uma questão: mas afinal o que tem de interessante o Casalinho da Ajuda?... Bem uma coisa é certa: gostos não se discutem!

Boas viagens!

8 comentários:

Vasco Lopes disse...

Coitada da senhora! Está a precisar de mudar de lentes, é o que é...

||_MiX_|| disse...

Realmente é verdade, o que aquela zona tem de interessante para ver?
Um dia havemos de ser idosos e esperemos que nao sejamos assim. A solidão é um bicho terrivel!

Grande abraço.

André Bravo Ferreira

APS disse...

É verdade...

A solidão é um "bicho" terrivel!

Ser idoso é "fogo"!

Mas temos, naturalmente, o direito

de continuar a sonhar...

Um abraço
APS

Rafael Santos disse...

Todos têm o direito a sonhar, sem dúvida...

Anónimo disse...

Oh Rafael é aqui o teu colega o Filipe não queres a 742 dá-me a mim pois andei lá uma semana seguida e percebi porque só já lá volto amanhã vieste de ferias fiquei sem lugar cativo :p bem que eu disse ao Dario hoje que vinhas tu de ferias e ia eu sair da bela 742. Abraço

Peleus disse...

Bem dos articulados mais velhos serem melhores que os Mescedes novos,...bem isso não descuto, mas que os velhos.....bem então digamos de uma forma mais agradável.
Enquanto alguns pagam balurdios para irem para uma sauna transpirarem, eu faço-o todos os dias de borla, o porblema é não puder tumor banho em todos os terminos......aaaah já me esquecia do do odor que se sente huuuummm que cheirinho

El tijon disse...

O que ha de interessante no casalinho da ajuda

toda a gente sabe que o casalinho da ajuda tem a melhor branca de lisboa cem põrcento pura

sou fã do saramago nao uso pontuaçao

Filipe disse...

O Casalinho da Ajuda não é um bairro, é um modo de vida.

Translate