quinta-feira, 23 de julho de 2009

Férias na cidade V: Restaurante «O Marques», um ícone da cidade

Em Lisboa, o virar de cada esquina, guarda-nos uma surpresa. Aproveitando as férias, hoje descobri mais um canto da cidade que desconhecia. Fui lá parar por acaso e depois de uma sugestão de um colega Guarda-Freio, que sabe que gosto de eléctricos. As referências dadas eram tão claras que não perdi tempo! Tinha mesmo de conhecer. Como já vem sendo hábito, ao longo da existência deste blogue, tenho vindo a sugerir, visitas, passeios e porque não sugerir também alguns espaços onde se é bem recebido(?), como foi o caso de hoje, no Restaurante «O Marques». Faço-o porque fui bem recebido, faço-o porque gostei de conhecer o espaço e sobretudo porque é sem dúvida um ícone da cidade de Lisboa, ainda que não venha referido nos guias mais conhecidos.

«O Marques»... dos eléctricos

Paulo Marques é o proprietário do restaurante «O Marques» e a sua paixão pelos eléctricos começou quando ainda era criança. No principio dos anos 90 começou a fotografar e já em 1996 tinha adquirido o primeiro eléctrico, o n.º 615. Os anos foram passando e o entusiasmo aumentando. Chegou ao ponto de criar um pavilhão no seu terreno particular, para receber os eléctricos que ia adquirindo, a stands de automóveis, em terrenos baldios, ou até mesmo a vizinhos espanhóis.

Com objectivo de recuperá-los, tem investido fortemente e é com grande orgulho que a certa altura me dizia que o salão n.º 353 estava quase pronto. No restaurante também não faltam as fotografias dos tradicionais eléctricos de Lisboa, mas o mais surpreendente são as bandeiras provenientes de um eléctrico "Salão" com um rolo de um eléctrico "Caixote", e o controller de um eléctrico da série 700.

O espaço estava bem preenchido e no meio da conversa, mais uma imperial para a mesa do canto e uma sandes de presunto para a esquina do balcão. É o verdadeiro e típico restaurante português. Estão lá os tremoços, as pipas do vinho e claro os rojões. O Paulo anda de um lado para o outro a servir os clientes e quando dou conta já tinha á minha frente uma "invejável" colecção de fotografias da sua autoria. A construção da raquete da Graça, as obras na 24 de Julho e em Santos... Há um pouco de tudo e para todos os gostos. Dos tradicionais 700 aos salões (série 300), não esquecendo, claro está, as zorras, as fotografias de Paulo Marques são verdadeiros elos de ligação ao passado da cidade de Lisboa.

Perto da Estação do Rossio, muitos são os que parecem aproveitar a chegada ao local para fazer uma pausa neste espaço comercial, onde reina a boa disposição, não só de quem está do lado de dentro do balcão, como dos que estão do lado de fora. Paulo Marques, disse-me a certa altura que «são muitos os estrangeiros que frequentam o restaurante e muitos são coleccionadores de fotografias de eléctricos» e algumas das expostas nas paredes foram ofertas dos próprios autores.

A conversa foi curta, até porque o movimento era grande, mas pelo menos sete eléctricos fazem parte da sua colecção e alguns já estão restaurados. Para além do gosto que nutre pelos eléctricos e pela sua história, o proprietário deste restaurante sabe bem receber e tem há já 19 anos, bem no centro da cidade um espaço que é tipicamente português e que dá gosto visitar. Fica feita a sugestão, para uma pausa a meio da tarde ou para uma refeição mais completa. O restaurante «O Marques», fica na Travessa do Forno n.º 11, junto à esquadra da PSP do Rossio (atrás do teatro D.Maria II).

A sugestão está dada, portanto resta agradecer ao Paulo Marques, a amabilidade com que me recebeu esta tarde. Para os leitores do blogue que pretendam conhecer melhor o projecto, as ideias e a colecção de Paulo Marques podem visualizar o vídeo disponível no YouTube e elaborado pelo C.E.C. - Clube de entusiastas do Caminho-de-Ferro.






Boas viagens e se for o caso, Bom apetite!

6 comentários:

||_MiX_|| disse...

Um optimo sitio para se ir, desconhecia o sitio e para a semana quando estiver em Lisboa lá vou eu. Obrigado Rafael.

Grande abraço.

André Bravo Ferreira

Iberista disse...

E não se sentou no banco de eléctrico? Ou será que o Paulo apenas o coloca lá nos jantares de Natal da APAC?

Francisco Chaveiro Reis disse...

Belos posts para as férias!

Abraços

efcm disse...

ora ai esta um local a visitar

Zarolho disse...

Fantástica coleção! É o 323, o 326, o 353, o 442, o 615… e quais são os outros dois?

Gonçalo Teles disse...

Um bom local a visitar. Esse homem é um catedratico na area dos electricos; e tambem o irmao Vitor tambem coleccionador mas de carros.Um abraço aos dois.

Translate