terça-feira, 30 de junho de 2009

Na 794 com a presença dos «picas»

Há quem lhes chame muita coisa, mas quando eu era criança e quando ainda havia respeito por esses senhores que fiscalizam a bilhética a bordo de autocarros e eléctricos, chamava-lhes revisores. Hoje na 794 apareceram para meu espanto, mas também para minha alegria confesso. Há já alguns - largos - meses que não fazia a 794 e a conclusão que tiro depois de um dia de trabalho nesta carreira é de que está tudo igual no que a borlas diz respeito.

Já a meio da tarde, que não contou com chuva como ontem, mas que se tornou abafada sobretudo quando a fiscalização entrou a bordo do 4246 e fez transpirar a última fila do autocarro, na Av.Infante D.Henrique e com destino a Santos, já na minha última viagem entraram três colegas da Fiscalização. Já depois de terem mudado de ideias, visto que tudo indicava irem para o 750 que vinha atrás.

E neste caso foram os próprios, ou melhor, as próprias passageiras visto que eram todas mulheres a darem a dita «cana». Viram a fiscalização na paragem e toca de correr para sair, mas como estes não haviam entrado e eu já tinha fechado a porta da frente, toca de regressarem ao lugar. A porta de trás fechou mas ao mesmo tempo a da frente voltava a abrir-se sem estas esperarem. Resultado: tinham acabado de ser "caçadas".

Todas elas eram jovens e já sem forma de fugir decidiram rir para não chorar. Na última fila só escapou a cadeira do meio, porque estava vazia. Todas as restantes estavam ocupadas e por raparigas que acabaram por abandonar o autocarro já com o papel A4 da multa na mão. Ao início não se queriam identificar, mas a palavra Esquadra soou-lhes mal e o B.I. saiu logo da carteira.

Já junto á Estação de Cabo Ruivo, mais uma jovem que habitualmente entra no autocarro como se fosse dona e senhora de tudo e todos. E preparava-se para o mesmo esta tarde. Entrou e rumou num passo acelerado para o corredor. Parou, viu uns senhores de farda azul ao fundo com pasta e caneta na mão e deu dois passos atrás e disse: «Boa tarde, queria um bilhete...»

-1.40€ s.f.f.... e enquanto tira as moedas e o bilhete é impresso, pergunta-me com uma grande lata: «são os picas não é?» ao que respondo: - Desculpe? não entendi o termo que utilizou... «Se são os picas que estão lá atrás?...» - Continuo a não entender, mas é 1.40€ sff... faltam 10 cêntimos!

E lá seguiu com o bilhete na carteira. Juntou-se ás, digamos, ilegais no transporte público que pelos vistos fazia parte do grupo. O pior é que nem assim elas aprendem...
Boas Viagens!

12 comentários:

||_MiX_|| disse...

Só tenho uma coisa a dizer: BEM FEITO!!!
Há muito boa gente que anda, anda, anda e anda, pior que as pilhas Duracel e nunca são apanhados! As coimas deviam ser mais altas a ver se aprendiam de vez, há pessoas que se preocupam em comprar o passe todos os meses e há pessoas que, talvez, nunca tenham comprado na vida e andam todos os dias.

Grande abraço.

André Bravo Ferreira

O Sitra disse...

para quem nao sabe, existem neste momento dois tipos de picas na carris. Os picas mesmo da carris, e os picas da strong, que é uma empresa privada que faz a fiscalizaçao tambem. A diferença é que os picas da strong, ganham cerca de 500 euritos por mes, e os da carris ganham cerca de 1200 euritos por mes. Os da carris andam quase sempre com 2 policias a paisana, os outros nao...
Os da strong limitam se a cumprir ordens, ou seja, nao tem titulo de transporte valido, passam multa... Os da carris nao... Passam multas a quem inocentemente pensava que tinha um titulo valido, mas afinal nao tinha. isso acontece muito quando se passa da zona L para a zona 1, ou quem ainda pensa que esta dentro da hora no 7 colinas, e outras situaçoes... Agora, a turistas, Carteiristas, grupo de rapazes conflituosos, e raparigas de mini saia, ou tops sensuais,nao passam multas, apenas mandam comprar o bilhete ao motorista...

necas de alfama disse...

Mix, a culpa é da administraçao da carris...
se fizessem o mesmo que fazem na rodoviaria, na barraqueiro e em outras empresas, em que o autocarro nao arranca da paragem enquanto os passegeiros nao tenham os titulos validos, isso nao acontecia, e nao havia borlas para ninguem...
agora se fazes o mesmo com um autocarro da carris, aparece logo um inspector a dar te na corneta...

Tuti disse...

O pessoal da strong pode tentar a sorte. Quero dizer: pode candidatar-se a motorista e depois ser "picas", se conseguir,não é?
As oportunidades existem.

Nesta época de férias haverá mais pessoal na balda. Os pais não compram os passes e a miudagem toca a tentar a sorte. Heheheh
Todo o mal do mundo fosse este!

Pedro Almeida disse...

Confesso que gostei mais da história da Dona Rosa... Aquele "fogo" impressionou-me, mas pronto, lá vou falar em coisas mais sérias!
Em relação aos fiscais, malta que "na minha terra" é conhecida como "os bilheteiros", a sensação que tenho é que eles deviam ser mais INFLEXÍVEIS!
Quanto mais não seja, por uma questão de respeito pelas pessoas que compram os passes todos os meses (como por exemplo eu)!
E tentarem não ir naquelas conversinhas do "Ah e tal, quando eu passei ali, a maquina deu verde", "ah e tal, disseram-me que este bilhete/passe também era válido por aqui", etc, etc...
Tudo conversas que qualquer um percebe que são mesmo para enrolar!
Aliás, o DEVER mínimo de um passageiro, é ter a responsabilidade de saber se tem título válido para o transporte!
É que a qualquer momento atiram com DIREITOS (a malta tem direito a tudo), quando muitas vezes ignoram por completo alguns dos DEVERES que deviam ter ao usar um transporte público!!

Enquanto não apertarem com os parasitas nada feito!!

E como o discurso já vai longo, e antes que o "senhor do blog" se chateie...


Grande Rafael, abraço do madeirense!!
Fica bem!

Anónimo disse...

Boas, aparece o inspector a dar na corneta porque a carris não que prejudicar o resto dos passageiros "legais", o autocarro arranca simplesmente porque o motorista não é fiscal ou revisor como queiram, e já houve casos em que o motorista decidiu intervir por causa de passageiros sem bilhete e foi agredido e adivinhem o q a carris fez? culpou o colega e deu-lhe uns diazinhos de suspensao sem vencimento precisamente porque ele não é revisor, e que tal?
fiquem bem

alphatocopherol disse...

Já tive ocasião de enviar mails à CARRIS devido a estes problemas de incumprimento. Apenas por uma questão moral. É injusto conhecer "n" pessoas que pagam mais de 50 euros por um passe para todos os dias irem trabalhar, enquanto outros deliberada e impunemente viajam todos os dias à borla na CARRIS!
O verdadeiro problema começou com a introdução do novo sistema de bilhética electrónica... Este sistema é sem dúvida infinitamente mais prático e eu sou totalmente a favor dele... Mas por outro lado é um convite claro à prevaricação demaiado fácil.

A CARRIS sempre me respondeu com o "aumento de fiscalização"... Tenho cá para mim que isso nunca será suficiente...

Bus Driver, disse...

O comentário do Necas é, certamente, para rir.

É que só pode,

Anónimo disse...

Ás vezes apetece-me fazer justiça com as próprias mãos, mas...

(Motorista anónimo)

Condutor do TXXI disse...

A mim parece-me que o que dizem da Strong não é bem assim, e tanto passageiros como motoristas preferem revisores da Carris do que os da Strong. Deixo aqui um caso: http://www.transportes-xxi.net/forum/viewtopic.php?f=10&t=12811&start=0

Paulo disse...

"Nesta época de férias haverá mais pessoal na balda. Os pais não compram os passes e a miudagem toca a tentar a sorte."

Os pais? Ou a SASE da escolinha? eheheh

Anónimo disse...

querem borlas é na scotturb,455/456/462/463/404/406 etc... ja cheguei a ter 18 na mesma carreira! é assim... é mau para quem é honesto e paga mas so cumprimos ordens "os motoristas so vendem bilhetes a quem pede para comprar" ah e fiscais? há 1 para na empresa! LOL é assim somos mal pagos mas temos um trabalho divertido...

Translate