terça-feira, 26 de maio de 2009

Sugestão do Tripulante (4): À descoberta da fauna com o 726


Depois de mais um tempo longo sem dar sugestões aqui estou de novo a escrever mais um conselho para o fim-de-semana que se aproxima e para sugerir o que de bom há nesta cidade.

Sabia que...


O crescimento da cidade de Lisboa a norte “obrigou” o alargamento do serviço da Carris em meados dos anos 50. É deste mesmo crescimento que nasce a carreira 26, em Julho de 1952, deixando Carnide e Pontinha mais próximas do centro da cidade. Inicialmente esta carreira circulava apenas entre o Largo de Santa Bárbara e a Pontinha mas em 1966 já servia o Bairro das Colónias, estendendo o seu percurso até Sapadores.


Em 2006 a carreira insere-se na Rede7 e passa a designar-se por 726 mantendo os mesmos terminais Sapadores-Pontinha.


A cidade através da carreira...


Se não tem programa para o fim-de-semana, aqui fica mais uma sugestão. Entre no 726 e vá até à Gulbenkian desfrute dos seus jardins e se tiver tempo e alguma das exposições lhe chamar a atenção, não hesite em visitar.


Se tem crianças o que eles iriam gostar mesmo era de ver os animais no Jardim Zoológico e o 726 também o leva até lá. A paragem fica a 100 metros da entrada principal do recinto e verá que será sem dúvida um dia diferente do habitual. Ah e não se esqueça de visitar a Glória, a «afilhada» da Carris no Zoo.


Após o Jardim Zoológico o 726 entra na estrada das Laranjeiras, onde passa pela Loja do Cidadão, pelas Torres de Lisboa, entrando em Carnide onde em Setembro realiza-se a Feira da Luz. A igreja da Luz é logo a seguir e se falta alguma coisa lá em casa pode sempre descer a pé a Av.Colégio Militar onde vai encontrar o Centro Comercial Colombo, mesmo em frente ao Estádio da Luz.


Mas se o dia não é para compras, siga então até à Pontinha e dê por terminado o seu passeio regressando ao seu destino.
O JARDIM ZOOLÓGICO
“Inaugurado em 1884, o Jardim Zoológico de Lisboa foi o primeiro parque com fauna e flora da Península Ibérica. Foram vários os seus fundadores, como os Drs. Pedro van der Laan e José Thomaz Sousa Martins e o Barão de Kessler, que contaram com o apoio de várias personalidades, como o Rei D. Fernando II e pelo conhecido zoólogo e poeta José Vicente Barboza du Bocage.As primeiras instalações situaram-se no Parque de São Sebastião da Pedreira, que foi cedido gratuitamente pelos seus proprietários. Em 1905, foram inauguradas as novas e definitivas instalações na Quinta das Laranjeiras”, pode ler-se no site oficial do Jardim.


“Em 1952, a Câmara Municipal de Lisboa galardoou esta Instituição com a Medalha de Ouro da Cidade.“A queda do Estado Novo em 1974 e a consequente independência das antigas colónias em África, significou a quebra do forte apoio prestado ao Jardim Zoológico pelas autoridades na diversificação e renovação da colecção animal. Por esta altura, o número de visitantes também diminuiu de forma substancial e ocorreram cortes radicais dos subsídios estatais. Assim, foi necessário desenvolver e implementar uma nova estratégia de gestão para o Jardim Zoológico, adequando-o aos valores e necessidades da época.”


“Hoje em dia, o Jardim Zoológico é um importante espaço onde aliada à conservação e à educação está uma forte componente de entretenimento e diversão. No parque habitam várias espécies de mamíferos, aves, répteis e anfíbios. Das mais de 360 espécies do Jardim Zoológico, 54 são EEP's.”


O Jardim Zoológico está aberto das 10h00 às 20h00 e os preços variam dos 12 aos 16 euros, sendo que as crianças até aos 2 anos não pagam. Visite! Se tiver dúvidas sobre onde poderá entrar a bordo do 726 aqui ficam os principais pontos de passagem e respectivos transbordos.



Fotos: Pedro Almeida e Site oficial do Zoo de Lisboa

1 comentário:

||_MiX_|| disse...

Excelente post Rafael!
Só não gostei de ver que o preço do Zoo já aumentou, ando para lá ir à imenso tempo.
Gosto destas tuas sugestões, continua!

Grande abraço.

André Bravo Ferreira

Translate