sexta-feira, 20 de março de 2009

Uma tarde na 22 com um regresso ao passado...

Na primeira tarde de Primavera eis que um regresso a uma carreira que há já algum tempo não fazia. As saudades não eram muitas, embora até tenha um percurso que se faz bem. Ao todo foram, sete as viagens que fiz, mas confesso que hoje apetecia-me bem mais estar a aproveitar a tarde de sol, fazendo outra coisa, mas talvez por ser o "primeiro dia da semana" para mim. É o que mais custa a passar...

Comecei o serviço com destino ao Marquês de Pombal, onde o trânsito intenso me fez chegar atrasado, tendo já à minha espera três passageiros. Iniciei a viagem então rumo à Portela e passada a zona de maior confusão, eis que consegui chegar a tempo ao terminal da Portela, onde consegui arranjar um tempinho para trocar umas palavras com uma jovem jornalista que esta tarde me visitou para colocar algumas questões...

Conversas à parte, eis que chega a hora de mais uma viagem rumo ao Marquês de Pombal. Pelo meio recebo a visita do Pedro Almeida que há muito não aparecia e que como já vem sendo hábito, aproveitou para spottar primeiro, tendo de imediato me oferecido a imagem deste post.

O Aeroporto já estava para trás, assim como o Areeiro, e já na Praça de Londres, entra uma idosa que me pergunta qual a carreira para ir até aos Restauradores. «Há tantos anos que não venho para estes lados que vejo tudo diferente», dizia a senhora acrescentado «no Marquês Pombal tenho algum autocarro que me deixe nos Restauradores?».

Sugeri-lhe o 36,44 ou o 745 até porque há outros mas há sempre a tendência de referir primeiro aquelas carreiras a que estamos mais habituados. Ainda assim, disse-lhe que o melhor seria sair na paragem junto à EDP, ao que a senhora de imediato responde: «Sim já estou a ver, ali na companhia da electricidade, subo e apanho na Fontes Pereira de Melo...» Tinha também o 732, mas havendo mais alternativas do outro lado da companhia da Luz, assim fez, não sem antes, lembrar velhos tempos. «Sabe, morei junto ao Tivoli, era como daqui ali..., bons tempos esses. Recordo-me também aqui da Alameda. Olhe ali até tive o meu marido internado numa clínica. É assim a vida...»

E lá seguiu o seu rumo. O trânsito esse estava cada vez pior e a anunciar a chegada da hora de ponta. Pela frente ainda tinha mais quatro viagens, que decorreram dentro da normalidade, mas um pouco cansativas devido aos muitos buracos das ruas de Lisboa, mas sobretudo devido ao trânsito intenso e à falta de civismo de grande parte dos automobilistas que teem cada vez menos respeito pelos transportes públicos que deviam preferir em detrimento do seu carro particular.

Foi ainda assim, uma sexta-feira como tantas outras, mas que para mim foi o início de mais uma semana a transportar pessoas pelas ruas da capital. Amanhã há mais...

Boas Viagens!

1 comentário:

AnaD/FG disse...

Curioso, eu hoje também respondi a umas perguntinhas de um jovem jornalista :)

Translate