quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Saiãããnaa ou 742, qual delas a pior?....

Há dias em que o cansaço nos vence de olhos fechados e com ele presente, vai-se a vontade de escrever e foi o que me aconteceu ontem que até tinha algo para vos contar, nem que fosse apenas o regresso a uma carreira que há muito não fazia. Foi uma quarta-feira movimentada sobretudo ali entre o Rossio e o C.Sodré. Estreei-me também em serviço com os desvios causados pelas obras da Ribeira das Naus que causaram o caos!

A carreira foi a 44 e voltei a andar com um Mercedes Citaro que oferece uma boa condução. Continua igual, isto é, cheia de estrangeiros que nos visitam e que á mais pequena distracção estão sem nada nos bolsos. Pois é, ontem foi uma alemã que quando chegou ao Cais do Sodré reparou que já não tinha a carteira. O estado de desespero foi tão grande que tive de a deixar á porta da esquadra da P.Comércio.

Já da parte da tarde e com um Volvo B7L nas mãos, tive direito - eu e os restantes passageiros - a música cigana entre o Rossio e o Largo Frei Heitor Pinto. Confesso que já não podia ouvir aquela ladainha de quem tentava calar uma criança com um birra... sim porque se a ideia era adormecer a criança, na minha opinião, aquela cantilena só fazia o contrário. A Saiana era irrequieta e só se calou quando a mãe lhe deu de mamar... Mas a verdade é que até já nem me saia da cabeça o nome da "saiãããããnaaaa".

Já hoje e como não poderia deixar de ser... mais um dia na 742. Fim do mês à porta e notas novas na carteira acabadas sair dos ATM's, ou seja, dinheiro fresco e mais carros na rua. Ainda assim deu para cumprir os horários de todas as partidas. E até para esclarecer um passageiro que a certa altura até pensei que me estivesse a fazer algum teste de conhecimento da cidade e da rede da Carris.

Primeiro queria saber, qual o transporte da Afonso III para Picoas, depois era o tempo que demorava, seguiu-se mais uma pergunta e desta feita sobre a frequência da 718 e 742. Pensando que ia ficar por ali... «Desculpe, mas já agora só mais uma questão e peço desculpa por fazer tanta pergunta quase ao fim do seu dia de trabalho... O meu escritório vai mudar para o Colombo. Da Afonso III qual a melhor maneira para ir de transportes? É que de carro depois não tenho lugar para estacionar...»

Esclarecido lá saiu na AfonsoIII e lá levou escrito o endereço do site da Carris (www.carris.pt) para ver os horários. Amanhã há mais...

Boas Viagens!

4 comentários:

Condutor do TXXI disse...

Eu gosto da 742. Acho que os percursos grandes são mais interessantes, passeia-se em mais pontos da cidade e o tempo passa mais depressa. Os percursos de bairro, pequenos, em minha opinião são mais chatos, dá-se muitas voltas e não se sai do mesmo sítio! Quase que se passa mais tempo parado nos terminais do que a andar.
Quanto aos ciganos acho piada a esse povo desde que não façam estragos.

Andreia disse...

Belo post, cheio de diferentes histórias, que até parece que não foram vividas todas no mesmo dia! (coitada da turista)... mas acredito que outras tantas ficam por contar!!!
Estou cada vez mais "seguidora" desde blog... parabéns pela escrita leve , mas sedutora como escreves.

Pedro Almeida disse...

Oh Rafael Santos, não são todos os profissionais do volante que podem dizer que têm MÚSICA ÉTNICA ao vivo e em directo na sua "carreira" lool...
E quando a cigana entrou, que até palmas dava?!!
Desculpa, mas não sabes apreciar os "talentos" da cultura cigana!!
Mas não te preocupes amigo, porque eu também já não podia ouvir aquela voz embaladora dos sonos da saiãããnaaa, mas pronto!!
Continuações de boas viagens...


Abraço!!

Carlos Correia disse...

Bem me queria parecer que aquele Citaro que vi passar no Campo Pequeno por volta das 11:50 de 4.ª Feira em direcção a Moscavide levava o Rafael aos comandos.
De resto, a carreira 44 diz-me bastante. Ainda me recordo bem do tempo em que era com os MAN SL200 da série 2000.

Cumprimentos

Carlos Correia
element@netcabo.pt

Translate