segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Nós por cá...

Mais umas folgas terminam e uma semana se avizinha! A semana começa na 708 e 742, o resto ainda não tive conhecimento, mas quanto ás folgas, num dos dias, passeei pela Avenida da Liberdade, a principal da cidade de Lisboa e voltei a registar factos que me entristecem, entre os quais destaco algo que está alusivo á minha empresa que tem feito um enorme esforço para recuperar e restaurar os ascensores e elevadores.

Ali para os lados do Lavra, os graffiter's voltaram a fazer das suas. Nós por cá não compreendemos este tipo de estrago a que muitos chamam arte. E por falar em Nós Por Cá, hoje estreou o programa com este mesmo nome, na SIC. Uma adaptação da rubrica semanal do Jornal da Noite, agora em horário mais alargado e diário.


«Nós Por Cá» é um programa onde o caricato e o impensável estão na ordem do dia, mas não só. Assim sendo aqui fica uma sugestão televisiva: «Nós Por Cá», passa na SIC de 2.ª a 6ª ás 19h00. E nós por cá no blog, ficamos com uma fotografia do ascensor do Lavra, que tirei e decidi partilhar convosco.


Boas viagens!

5 comentários:

Ricardo disse...

Rafael antes de mais parabéns pelo excelente blog.

De seguida apenas um reparo: existe arte e arte. Isso é um tag, uma assinatura, coisa que abomino totalmente. Já arte a nível de graffiti convido-o a ver as obras de um artista de nome Banksy, cujas obras tem sempre algum sentido, aviso. Quem sabe se nao irá gostar.

Deixo aqui um site com algumas das obra de Banksy:
http://www.biertijd.com/mediaplayer/?itemid=11258

Rafael Santos disse...

Olá Ricardo,

obrigado pelo seu comentário. O graffiti enquanto desenho e obra até admiro, mas quando me referi á arte, foi porque quando passei no elevador, ouvi um comentário «Aquilo sim é arte...» daí a minha indignação.
Quanto ao link, obrigado pelo convite. Gostei.

Carlos Correia disse...

Eu iniciei a minha 'carreira' de entusiasta dos transportes públicos no sector ferroviário, onde o tema do vandalismo sob a forma de graffiti é particularmente sensível. E a opinião de muitas pessoas ligadas ao sector (entusiastas e profissionais) com quem contacto regularmente é que se os senhores que fazem este 'bonito' trabalho fossem um dia apanhados deveria ser-lhes aplicado um tratamento exemplar. Que poderia ser, por exemplo, pegarem num balde com água quente e numa escova de dentes e começarem a limpar...

Cumprimentos

Carlos Correia
element@netcabo.pt

Pedro Almeida disse...

Acho que ARTE no seu verdadeiro sentido, era mais de metade das pessoas que fazem essas porcarias (não há outro nome que se diga) em tudo o que encontram pela frente, terem noção da palavra CIVISMO, serem úteis á sociedade, terem algum amor pela pátria deles, respeito pelos outros, respeito PELO QUE É DOS OUTROS e terem vergonha de transformar as ruas, os monumentos, e neste caso um transporte da cidade deles, num cenário "digno" de uma cidade da África profunda massacrada por uma guerra.
Ainda por cima usar a palavra ARTE associada a vândalos, delinquentes e fracassados, é uma verdadeira ofensa para quem sabe e tem o poder de fazer ARTE de uma forma digna e decente (pintores, escultores, entre outros)...
Peço desculpa pelo desabafo, mas esta gente dos Grafittis tira-me do sério


Grande Rafael, um abraço do madeirense!!

Vasco Lopes disse...

Até posso admitir que certos graffitis sejam arte. Arte é um conceito vastíssimo.
Os tags não o são, de todo.
De qualquer forma, mesmo sendo arte, e por mim até pode ser o desenho mais bonito alguma vez feito, não posso concordar que o mesmo seja inscrito em paredes, portas, transportes públicos ou monumentos.
Na minha opinião, digam o que disserem, quando feito na via pública, será sempre vandalismo, falta de civismo e em alguns casos é crime punível com pena de prisão, seja qual for o graffiti.
Que criem espaços para tal. Na rua, não!

Translate