segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

«Olha o motorista Ninja...» Pois mas o frio assim convida!

1 de Dezembro - Feriado, e se é bom trabalhar ao feriado porque há sempre menos confusão e porque se ganha a dobrar, por vezes até sabe bem ficar em casa, sobretudo quando o tempo assim convida, ou quando se tem uma semana daquelas para esquecer.

Assim é. Hoje gozo dia feriado e bem precisava de descanso depois de uma semana que começou, claro está na 742 e que terminou na 793, com um regresso á 794 pelo meio. Os primeiros dias da semana decorreram dentro da normalidade, mas com a chuva a fazer das suas, provocando algum trânsito na cidade.

Esta semana foi de facto para esquecer, porque pelo meio almoçei ali para os lados de Santo Amaro, uns Pasteis de Bacalhau que não me fizeram nada bem. A má disposição levou-me a ficar sem paciência para nada e só mesmo uma mudança de ares levou a que recuperasse um pouco mais de forças.

Mas a mudança de ares até não foi das melhores. Bem pode dizer-se que foi um regresso a uma carreira que há muito não fazia - 794 - o que faz com que as primeiras viagens pareçam novidade. O que não era novidade nenhuma era o horário curto para dar tanta volta para chegar á Gare do Oriente.

O frio lá fora teimava em entrar para dentro do autocarro e até a sofagem liguei para aquecer. E o melhor mesmo foi quando uma senhora entra e diz que nunca tinha visto o motorista com o cachecol. Estranho! Logo lhe disse que devia andar pouco de autocarro, até porque já me tinha cruzado com três ou quatro colegas, também eles protegidos do frio por um cachecol.

Ah e convém dizer que tudo isto é prevenção porque apesar de estarmos dentro do autocarro, o abrir e fechar das portas causa correntes de ar que se tornam inimigas de qualquer um. Mas será que era só eu que tinha frio?

Pelo que observava, muita gente se queixava do frio causado pelas temperaturas baixas, mas até de «Motorista Ninja» me apelidaram, ele há com cada um...

Frio á parte, a semana terminou na 793 com um domingo onde nem a chuva afastou a habitual ida de domingo à Feira do Relógio. Para não bastar, as superfícies comerciais alargaram os horários e há porta do Feira Nova da Bela Vista, eram dezenas as pessoas que aguardavam o autocarro a cada viagem feita.

Ainda tive direito a visita de uns rapazes que decidiram tirar o dia para brincarem com quem andava a trabalhar, ali entre a Madre Deus e Marvila, mas acabaram por ficar a saber que não estava para brincadeiras. Tendo metade ficado na rua e outra metada na paragem mais á frente, dada a hesitação em sairem e entrarem do autocarro em estilo de gozo.

O que valeu foi que o dia até passou rápido porque acabei por encontrar um amigo que foi dar umas voltas de autocarro e que até trocou umas palavras com o motorista. Agora o regresso será quinta-feira, só espero que não seja nem 742, nem 793. Logo se verá...

4 comentários:

Vasco Lopes disse...

O quê? Foste para a 793? Essa mítica carreira que tem um terminal em Marvila que vos obriga a fazer 1001 manobras para virar o carro ao contrário? Então e queres melhor para aquecer?

Um abraço e boa semana de trabalho.

Ricardo disse...

Motorista Ninja! lolol

Resta saber se tinha superpoderes...

Excelente blog!!!!!

Anónimo disse...

Pois é Rafael, se pensa que o seu Blog só é lido por jovens, está bem enganado, eu sou uma "kota" de 53 anos, como vocês dizem, e acho imensa piada a algumas das estórias, como aquele da Sony, fartei-me de rir e já agora dizer-te que tenho por hábito quando entro num autocarro dar as boas tardes ou bons dias ao motorista e quase nunca me dão resposta, de vez em quando lá há um jovem que me responde mas os mais velhos, esses, bem esses então nem pensar, casmurros, mas não é por isso que deixo de vos cumprimentar. Continua a escrever coisas giras pra eu me rir. Desejo-te sorte pra tua vida. Bjs

alphatocopherol disse...

A 794 é daquelas "super carreiras" da carris que tem um percurso perfeitamente infernal, gabo a paciência dos motoristas para tanta voltinha :)

É a primeira vez que vi este site :) Morei em Lisboa durante 27 anos, e o autocarro sempre foi um meio de transporte de eleição. entre família e amigos era conhecido pelo maluco que sabia para onde iam todas as carreiras, os números de série e até por aquilo que sabia fruto das muitas conversas com motoristas! A minha vida seguiu outro rumo mas ainda hoje penso que adorava conduzir um autocarro, apesar de todas as coisas chatas que a profissão tem!
Agora vivo em Coimbra mas ainda vou visitar os meus pais várias vezes a Lisboa! Quem sabe uma das minha habituais viagens de 36 ao fim de semana (série 4200 ou 1600 habitualmente :p), não tenha a sorte de ser conduzido por você!

Um abraço e felicidades para o blog e para a sua vida profissional e pessoal

Translate