sábado, 16 de agosto de 2008

Perguntas teimosas da sabedoria...

Se há coisa que rapidamente me faz passar da simpatia à antipatia, mas que é algo com que já vou lidando melhor são as perguntas sem nexo. E elas surgem quase todos os dias.

A típica pergunta: «Sabe dizer-me qual o autocarro que apanho para o Hosp. Santa Maria?»
Ao que respondo: «Este (35) por exemplo vai para lá!...»
Ao que volta a perguntar: «Então mas não era o 755? É que disseram-me que só o 755 dava...»
Aqui está um pouco resumido porque se for a postar uma conversa deste tipo completa também vocês iriam perder a paciência de ler o resto.

Depois também há o contrário, que é entrarem no autocarro, sentarem-se e passado um tempo solicitarem: «Não se importa de dizer quando chegar-mos a Santa Apolónia?!...» e se estou a fazer a carreira 7 respondo como é natural: «A senhora desculpe, mas este autocarro não passa em Santa Apolónia. Terá de descer na P.Chile e apanhar o 706 ou o 35...»

E ela responde: «Desculpe, mas disseram-me que era o 7!»
Eu: «Mas disseram-lhe mal, porque o 7 circula entre Sr.Roubado e P.Chile»
E ela: «Pois mas eu apanhei este porque garantiram-me que passava em Santa Apolónia» entretanto lá se esgota a paciência
E eu: «Então deixe-se estar sentadinha e quando vir a estação Santa Apolónia, toque para sair, já que não acredita no que lhe estou a dizer...»

Remédio santo para ela dizer: «Pronto se o senhor diz, saberá certamente melhor que eu...»

Enfim, mais uma das histórias com que vamos lidando e aprendendo a lidar.

1 comentário:

Vasco Lopes disse...

Hehehe! Essas frases são-me tão familiares. Já as ouvi centenas de vezes e ainda piores! Sei bem qual é a sensação que sentes.

Translate